Home»BEM-ESTAR»CORPO»Musculação, perda de peso e outras dicas úteis

Musculação, perda de peso e outras dicas úteis

Se existe uma modalidade no espetro das atividades físicas que é rica em mitos e ideias, sobre todos os aspetos que a caracterizam, é a musculação. O treino de força é muito complexo e tem muitos aspetos que têm de ser considerados. Os seus benefícios são indiscutíveis, quando for um treino realizado da forma correta. De uma forma simples, vou enumerar alguns deles, para terem uma melhor noção em relação ao treino de musculação em comparação com outro tipo de treinos e as consequências para quem os pratica.

Pinterest Google+

MUSCULAÇÃO E PERDA DE PESO

Todos os exercícios geram gasto calórico, a musculação não é uma exceção.  Embora o resultado não seja imediato, no momento do treino, a propensão é que a massa gorda diminua e seja substituída pela magra. É do pensamento comum que para perder peso temos de fazer atividades aeróbicas, mas na verdade o treino de musculação é um grande aliado na perda de peso. Ao aumentar a massa muscular o que sucede é que o metabolismo vai acelerar, fazendo com que, para as mesmas atividades, estando num contexto de exercício ou quer até no dia-a-dia, o consumo calórico vai ser muito maior em comparação com um corpo com menos massa muscular. A combinação dos dois tipos de treino é a chave para um resultado positivo.

 

 DICA: Enquanto a musculação trabalha no aumento da massa muscular, a atividade aeróbica auxilia no aumento de resistência e do metabolismo. Ao acelerar o metabolismo, o praticante irá automaticamente perder peso.

 

Pesos livres VS máquinas de musculação

Neste caso, não há um melhor do que o outro, há sim diferença entre eles, mas com benefícios distintos, para além do aumento de força e de massa muscular. As máquinas ajudam a isolar o músculo, oferecem suporte para a realização de séries e exigem menos consciência corporal para a execução correta dos exercícios. Por isso, são ótimas, principalmente para quem está a iniciar o treino ou para aqueles que não tem muita força física. Quando se trabalha com pesos livres, barras ou halteres, acabamos por recrutar outros grupos musculares além do que nós queremos de uma forma direta, por exemplo, os que dão suporte às articulações para que não ocorram movimentos indesejáveis durante a ação dos músculos ou apenas, se treinar de pé, para nos mantermos equilibrados. Acaba por ser um treino mais funcional, mais relacionado com o nosso dia-a-dia, em que, também, temos de pegar em objetos.

 

VEJA TAMBÉM: ABDOMINAIS: O QUE PRECISA DE SABER!

 

Musculação e o corpo feminino

Muitas mulheres têm medo de ficar com as pernas e os braços muito desenvolvidos, devido ao aumento dos músculos. Ao contrário do que se possa pensar, na maior parte dos casos, não é isso que acontece. Normalmente, as mulheres têm grande dificuldade em aumentar a sua massa muscular, de maneira substancial em relação aos homens, pois não têm perfil hormonal para tal, nem volume muscular semelhante ao deles. Aquele aspeto de “atleta de fisiculturismo” só vai acorrer se esse for objetivo e o treino for muito direcionado para aí. Para garantir que os resultados do treino de força acompanhem o que se pretende para o corpo de cada um podemos ir controlando diariamente as mudanças em frente a um espelho. Assim que se atinge os objetivos pretendidos, controle o treino para manter os resultados.

 

Duração do treino e aumento da massa muscular

Existe a ideia de que treinar mais tempo vai produzir melhores resultados, é uma ideia errada. Ao exagerar na intensidade e frequência de treino, o efeito pode ser o contrário ao pretendido, não acontecendo o ganho de massa muscular, mas sim fazer com que o organismo se torne mais suscetível a sofrer lesões, tendo como  consequência a paragem do treino e a perda de tudo o que foi conquistando até então em termos de massa muscular. Para evitar que isto aconteça, é fundamental respeitar o período de pelo menos 24 horas de repouso entre um treino e outro. E de 48 horas para a mesma zona corporal. Pois é durante a recuperação que acontece a hipertrofia e o crescimento dos músculos.

 

Treino de força e idosos

O treino de força é essencial e um forte aliado no combate à osteopenia, sarcopenia e osteoporose. Um treino de força com cargas elevadas e poucas repetições é muito interessante para os idosos, pois pode potenciar: o aumento da massa muscular, o aumento da massa óssea, melhorar o equilíbrio e a força, o que leva consequentemente a uma maior autonomia para tarefas diárias. Este tipo de treino na população mais idosa deve ser acompanhado por um profissional de desporto, de maneira a garantir toda a segurança e respeito por alguma patologia pré-existente.

 

VEJA TAMBÉM: CUIDADOS E DICAS PARA RETORNO À ATIVIDADE FÍSICA

 

Alongamentos, treino de força e aumento de massa muscular

O alongamento realizado com tensão moderada ou leve e por um período curto é, na verdade, benéfico à musculação, e não diminui a força durante os treinos. Reservar uma sessão de treino com objetivo de melhorar a flexibilidade, em dias diferentes do treino de hipertrofia ou alongando os músculos que não foram treinados nesse dia, é essencial. Um músculo com mais flexibilidade vai gerar mais força.

 

Musculação e melhoria na postura

Um treino prescrito e orientado por um profissional, tendo em consideração diversas variáveis como deficiências de mobilidade, estabilidades articulares e assimetrias entre os membros, pode ajudar a melhorar a postura. O treino feito sem acompanhamento e sem avaliação física prévia pode levar ao agravamento de alguma deficiência ou desvio postural pré-existente.

 

Resumindo

A musculação é uma ótima ferramenta para atingir os resultados, quer seja: de aumento de massa muscular; perda de peso; melhorias posturais; prevenção de lesões. Quando combinada com outros tipos de treino, tais como o treino aeróbio ou alongamentos, vai potenciar os resultados pretendidos. O Importante é não esquecer outros aspetos do treino que nos levam ao sucesso (ver “O Triangulo do Sucesso”)

 

BONS TREINOS!!!

Artigo anterior

Amizade em tempos de COVID-19: a importância de manter as relações sociais

Próximo artigo

Semana da amamentação: os benefícios para o bebé e para a mãe