REPORTAGENS

O Letras Prá Vida é um projeto de intervenção comunitária, que desenvolve oficinas de alfabetização e alfabetização digital com pessoas adultas.

Cerca de 500 mil portugueses não sabem ler nem escrever, valor que coloca Portugal no topo da tabela dos países europeus com maior taxa de analfabetismo. A propósito do Dia Internacional da Educação, assinalado a 24 de janeiro, Dina Soeiro, coordenadora do projeto Letras Prá Vida, fala sobre o papel da educação mesmo em idade avançada.
PSI, Düsseldorf, Alemanha.

Alternativas ao plástico, produtos biológicos e a promoção do natural são características que estiveram presentes na PSI 2020, a maior exibição europeia do setor da indústria das promoções e consumo, que decorre anualmente em Düsseldorf, na Alemanha, e que reflete as tendências atuais nesta área. E nós estivemos lá.
Museu do Perfume, Museu do Chocolate, inúmeras cervejarias tradicionais, e, claro, o monumento mais visitado da Alemanha, a Catedral de Colónia. Já lhe despertámos a atenção para a cidade mais antiga da Alemanha? Foto: KölnTourismus

Museu do Perfume, Museu do Chocolate, inúmeras cervejarias tradicionais, e, claro, o monumento mais visitado da Alemanha, a Catedral de Colónia. Já lhe despertámos a atenção para a cidade mais antiga da Alemanha? É também uma das mais fervilhantes… reúne mais de 100 mil estudantes e emigrantes de 182 países.
Conhecida como a Veneza portuguesa, a cidade dos quatro canais diferencia-se ainda pela arquitetura e doçaria regional. Veja o que não pode perder na sua próxima visita.

Conhecida como a Veneza portuguesa, a cidade dos quatro canais diferencia-se ainda pela arquitetura e doçaria regional. Veja o que não pode perder na sua próxima visita.
Palmela vista do seu castelo.

A chamada Balmala, pelos muçulmanos, desde sempre foi disputada pela sua posição singular e estratégica. Localizada numa posição elevada entre a serra e o mar, do seu alto avista-se Lisboa e o seu rio Tejo, Setúbal e o seu estuário do Sado, e a península de Tróia e o seu oceano Atlântico. Pode, literalmente, rodopiar sobre os seus pés e ver toda esta paisagem em menos de um minuto. Não é, pois, de admirar que é habitada e valorizada desde os tempos pré-históricos. Vamos fazer uma viagem pelo tempo?
Bem-vindos a Azeitão. Foto: Câmara Municipal de Setúbal.

É conhecida pelo queijo, pelas tortas e pelo vinho que se produz à sua volta. Tinto, branco, moscatel… Mas o que muitos não sabem é que foi o azeite que pôs esta vila, literalmente, no mapa. O seu nome deriva de Azzeitum, nome dado pelos árabes, no século VIII, aquando da sua passagem pela região, devido aos extensos olivais que cobriam as suas terras. E por ali ainda se encontram algumas oliveiras milenares. É só olhar com atenção e descobrir todo os seus tesouros.
Forte de S. Filipe, em Setúbal

Chamam-lhe Castelo de Setúbal por engano, mas é na realidade uma fortificação militar erigida no século XVI. Mas o curioso é que este engano não está assim tão longe da realidade, já que este forte que entremeia a cidade de Setúbal e a serra da Arrábida e com uma vista de longo alcance sobre o mar foi na realidade inspirado no Castelo de São Telmo, em Nápoles, Itália, o único castelo do mundo em forma de estrela de seis pontas.
Praia fluvial da Tapada Grande, Mina de São Domingos.

Localizada na Mina de São Domingos, Mértola, a praia fluvial da Tapada Grande é o refúgio para quem precisa de se refrescar ou de descontrair no Alentejo profundo. Com bandeira azul, uma extensa língua de água e uma esplanada fresca, é cada vez mais procurada na época balnear.
Sesimbra, a serra e o mar.

Dentro do Parque Natural da Serra da Arrábida e protegida com uma baía com águas calmas e serenas, o município de Sesimbra é o local ideal a visitar tanto pelos amantes da natureza como por aqueles que querem relaxar perto do mar. Enquanto aqui estiver, não se esqueça de visitar o melhor que esta região tem para oferecer e faça memórias que irão perdurar, pelo menos, até às próximas férias.
O Vestigius está localizado no Cais do Sodré, em Lisboa.

Tudo aqui tem uma história. Tudo guarda um vestígio do que já foi… mas que agora tem uma nova função. O enorme candeeiro de entrada ganhou vida com cordas recuperadas que foram limpas e cardadas, o bar é aconchegado pelo que resta de um antigo barco, a adega veio substituir um antigo depósito de sal. Vale a pena descobrir este surpreendente bar/restaurante no Cais Sodré. Pela decoração e pela carta, servida com sabor e requinte.