Home»VIDA»ALTERNATIVAS»Zodíaco – roda dos animais – círculo da vida

Zodíaco – roda dos animais – círculo da vida

Saiba mais sobre o mundo completo da astrologia e sobre a interdependência dos vários elementos.

Pinterest Google+
PUB

O Zodíaco Tropical é definido, na Astrologia Ocidental, em função do Sol. A Astrologia Ocidental toma como círculo celestial de referência a eclíptica (trajetória aparente do Sol visto desde a Terra), mas poderia usar tanto o Equador Celeste como a trajetória da Lua.

 

No Zodíaco tropical, seja escolhendo a eclíptica ou a trajetória da Lua, o ponto zero é definido pelo ponto vernal libertando-se da imprecisão que traz para o zodíaco sideral o movimento de precessão e o movimento da eclíptica.

 

Ponto Zero do signo de Carneiro

Define-se como ponto zero de Carneiro a projeção do Sol no fundo estelar, no momento do Equinócio da Primavera para o hemisfério norte, em que o Sol passa do Sul para o Norte do plano do equador celeste. Fica a pergunta: por que não escolher o ponto zero do signo de Carneiro no momento do Equinócio de Primavera para o hemisfério sul?

 

Os 12 Signos tropicais

O Zodíaco tropical é dividido em doze partes iguais de 30 graus, a partir do ponto vernal, designando-se cada uma dessas partes signo tropical. Os signos sucedem-se em sentido horário vistos desde o hemisfério sul, e em sentido anti-horário quando vistos desde o hemisfério norte.

 

Movimento de precessão dos equinócios

O ponto vernal tem um movimento retrógrado de 50 segundos de arco por ano, em torno de um grau a cada 72 anos. O Zodíaco Tropical dá uma volta completa a cada 25 800 anos. Neste seculo mantemo-nos na Constelação de Peixes a caminho da Constelação de Aquário, o que define a transição para a Era de Aquário.

 

Observe que a independência do Zodíaco Tropical relativamente às constelações liberta o posicionamento dos planetas na sua relação com as constelações zodiacais. Os planetas ao estarem referenciados nas suas coordenadas no Zodíaco Tropical com o Ponto Vernal movimentar-se-ão mais rapidamente do que quando observados das Estrelas. Este movimento retrógrado do zodíaco tropical em relação ao fundo estelar, fará com que os planetas se movimentem ligeiramente mais rápidos em relação aos seus movimentos referenciados ao fundo estelar – zodíaco sideral.

 

Zodíaco Sideral – As 12 Constelações

Quando se privilegiam as estrelas como referência, pode optar-se pelas constelações zodiacais definidas por Ptolomeu, determinando o Zodíaco Sideral de constelações com elongações diferentes entre si.

É bom realçar que, na atualidade, a eclíptica cruza as áreas das constelações por outros lados diferentes da eclíptica no tempo de Ptolomeu, o que determina outras elongações para as constelações zodiacais.

 

Os 12 Signos siderais

Pode-se definir outro tipo de Zodíaco Sideral a partir do mesmo ponto zero da constelação de Carneiro de Ptolomeu, dividindo a eclíptica em 12 partes iguais de 30 graus, chamando a cada parte, signo sideral. Cada signo sideral conterá estrelas pertencentes a mais do que uma das antigas constelações zodiacais ou vizinhas. Com o tempo, a eclíptica movimenta-se no espaço estelar, visitando diferentes sectores das constelações. Como por exemplo, agora, a eclíptica inclui a constelação de Ophuncius e quase que abandona a constelação de Escorpião.

 

A fragilidade deste sistema é que temos que tomar o ponto zero da constelação de Carneiro definido por Hiparco-Ptolomeu sem conhecer o que os motivou a esta definição. Aparentemente, foi uma eleição aleatória ao definir limites das constelações herdadas dos antigos gregos e mesopotâmicos, que se reduziam a nomear sectores estelares sem bordas definidas.

Artigo anterior

Em mês de muitos gastos... como poupar dinheiro nas compras

Próximo artigo

Maioria dos doentes com cancro da mama sente falta de apoio