Home»ATUALIDADE»ESPECIALISTAS»Zamboa, o limão gigante que cura quase tudo

Zamboa, o limão gigante que cura quase tudo

Também conhecido como citrus medica, pode atingir 20 cm. É conhecido pelos seus poderes medicinais desde a antiguidade e é usado em vários países do mundo, tanto na sua aplicação medicinal como alimentar.

Pinterest Google+

Chamado de cidra, este limão gigante de casca grossa, espessa e rugosa com sabor insípido, é considerado a “maçã persa” desde a Babilónia, nos séculos V e IV a.C. Pode atingir cerca de 20 cm, sendo a sua árvore é originária da Ásia e bastante cultivada no Brasil e no Mediterrâneo.

 

O fruto deve ser perfeito, ter o caule intacto e um aroma singular. Considerado o limão original havendo dele vários relatos na história da bíblia. Tanto que chegou a ser chamado de maçã do Éden ou a árvore enraizada na eternidade, talvez porque, devido ao seu intenso aroma, atrai muitas borboletas quando está em floração na primavera do mediterrâneo.

 

VEJA TAMBÉM: DA LINHA AO SISTEMA IMUNITÁRIO: OS BENEFÍCIOS DE BEBER ÁGUA MORNA COM LIMÃO

 

É conhecido pelos seus poderes medicinais, desde a era de “Alexandre o Grande” e é chamado de “etrog”, pelos judeus, ou a fruta que simboliza a perfeição, devido á sua fragância intensa e doce. De tal forma que os chineses usam a sua casca em produtos de cosmética, sabão, perfumes e em óleos essenciais. Na alimentação é consumido em forma de cubos ou rodelas ou tiras cristalizadas na decoração dos panetones pelos Italianos e como aromatizante em geleias.

 

Na India é considerado o melhor remédio contra enjoos, como sedativo, em problemas respiratórios e intestinais e usado em conserva de pickles. Nos dias de hoje onde mais cultiva esta fruta é na Itália, na Sicília, em França, em Creta e em Israel. Para os judeus, esta fruta de polpa grossa e quase sem sumo é tão valiosa que cada unidade sem defeitos na casca pode valer cerca de 400 euros. Isto porque ela é uma das 4 frutas a serem usadas nos rituais judaicos da celebração anual o “Sucat” ou “Mitzvah”, ou a festa dos tabernáculos. Tanto é, que o seu valor pode ser pago ao preço de um diamante.

 

Existe uma crença na história, sobre o poder da zamboa ou etrog que, se uma mulher infértil comer desta fruta, engravidará em pouco tempo. Talvez porque é rica em Vitamina C, B1 e B2, minerais de cálcio e de fósforo, os quais a tornam excelente para tratar infeções do trato feminino.

 

VEJA TAMBÉM: LIMÃO SUPERPODEROSO (E UM TERROR PARA AS BACTÉRIAS)

 

Se tiver sorte e conseguir provar esta iguaria que atravessou gerações na história da humanidade e que, tal como o cacau, foi idolatrado por deuses e homens, quem sabe, poderá sentir o seu poder e com ele ser capaz de guardar em si a sabedoria desta fruta misteriosa.

 

Sendo a zamboa a forma original do limão, entende-se agora a razão pela qual o limão é ainda hoje considerado o alimento mais alcalino, capaz de manter em equilíbrio a homeostasia do corpo humano. Divino ou não, as suas propriedades são um excelente remédio para quase tudo.

 

É caso para afirmar que ‘O alimento é vida!’

Artigo anterior

Maioria dos portugueses considera o local de trabalho honesto, mas muitos não denunciam más condutas

Próximo artigo

Massa, pasta, di massa, masse: o alimento intemporal que afinal faz bem