Home»GLAMOUR»CELEBRIDADES»Youtube e Disney cortam laços com PewDiePie

Youtube e Disney cortam laços com PewDiePie

PewDiePie é dos youtubers mais seguidos no Youtube e os seus vídeos já foram vistos coletivamente mais de 14 mil milhões de vezes. Em 2016, a ‘Time’ incluiu-o no top 100 das pessoas mais influentes do mundo.

Pinterest Google+
PUB

O  YouTube e a Walt Disney Co cortaram ligações com o youtuber mais influente da atualidade, o sueco PewDiePie, depois de este ter publicado uma série de vídeos considerados antissemitas, divulga a agência ‘Reuters’.

 

A segunda temporada do reality show ‘Scare PewDiePie’ foi cancelada pelo Youtube. Além disso, a empresa retirou-lhe o previlégio de ter um serviço de publicidade premium no seu canal, que já conta com mais de 53 milhões de subscritores. «Decidimos cancelar o lançamento da temporada 2 ‘Scare PewDiePie’ e estamos a remover o canal PewDiePie do Google Preferred», anunciou um representante do YouTube à revista ‘Variety’, nesta terça-feira.

 

Veja também: Conheça os ‘youtubers’ mais ricos

 

Recentemente, o jovem de 27 anos pagou a duas pessoas na Índia para segurarem num cartaz que dizia ‘morte a todos os judeus’ e, de seguida, respondeu ao mesmo com críticas. Numa publicação no ‘Tumblr’, no último fim-de-semana, PewDiePie defendeu o seu conteúdo como comédia e não como um apoio ao ódio.

 

«Eu penso no conteúdo que crio como entretenimento e não um lugar para qualquer comentário político sério», escalerece. «Eu sei que o meu público entende, e é por isso que vêm ao meu canal. Embora essa não fosse a minha intenção, eu entendo que estas piadas foram ofensivas».

 

Veja também: Valentina Sampaio, a primeira modelo transexual na capa da Vogue francesa

 

A Disney’s Maker Studios decidiu cortar laços com PewDiePie, cujo nome verdadeiro é Felix Kjellberg, depois de uma investigação realizada pelo ‘Wall Street Journal’ que divulgou nove vídeos com imagens nazis e piadas antissemitas. «Apesar de Felix ter criado uma liga de seguidores por ser provocador e irreverente, ele foi claramente longe demais neste caso, e os vídeos resultantes são inadequados», afirma um porta-voz do Wall Street Journal, segundo a agência ‘Reuters’.

 

 

Artigo anterior

Os EUA já têm um carro que voa

Próximo artigo

Homens também sofrem de depressão durante a gravidez das parceiras