Home»VIDA»CARREIRA»Você é predadora, presa ou parceira?

Você é predadora, presa ou parceira?

Comunicar de forma a obter mais daquilo que você quer, mais vezes e com menos trabalho pode requerer saber um pouco de ‘dança’. Quem o diz é a Amy Carroll, autora do livro “The Ego Tango”.

Pinterest Google+

Em qualquer tipo de interação pessoal ou profissional, é muito fácil ser apanhada pelo “Tango do Ego”, como diz a autora, que é despoletado pelo “Jogo Invisível de Poder”. Em quase todas as situações uma pessoa toma a liderança, por vezes negativa, e os outros seguem-na, sem se aperceberem, mesmo que não tenham essa intenção.

 

Quando entramos nesse Jogo Invisível de Poder sem nos apercebermos, surgem situações de stress e de conflito que experimentamos na maior parte das vezes na comunicação. Quando o seu ego é despoletado (sente-se desrespeitada ou sob ameaça), a sua resposta automática (natural) será como a de uma “Presa” ou “Predadora” e provavelmente o resultado não será muito satisfatório.

 

Ao aprender a gerir a dinâmica do ego, começa a operar a partir da mentalidade de “Parceira”, estabelecendo uma sensação de respeito e segurança que a levam a obter mais daquilo que você quer, mais vezes e com menos trabalho.

 

VEJA TAMBÉM: JÁ NÃO SUPORTA O SEU COLEGA? SAIBA COMO CONVIVER NUM OPEN SPACE

 

Princípios básicos para gerir com mestria o Tango do Ego na comunicação:

1 – Criar “Awareness”: Tomar consciência de que o nosso ego foi despoletado, deixando um sentimento de ameaça ou desrespeito.

2 – Identificar “Behaviours”: Quais os comportamentos que me farão mais eficaz.

3 – Finalmente “Change”: Mude a dança para experimentar uma interação mais colaborativa e recompensadora.

 

Pense na última vez que perdeu a compostura numa interação, onde como resultado ficou agitada, ansiosa ou na defensiva. O que pensou na altura? Como se sentiu? Como notou que o seu ego foi despoletado? O que aconteceu? Que palavras utilizou?

 

Lembro-me de há uns dias atrás, após ter finalizado a apresentação de uma palestra, uma pessoa se ter aproximado de mim dizendo que gostaria de me dar umas dicas para eu melhorar o meu discurso. A minha primeira reação foi pensar, mas quem é esta pessoa que não conheço de lado nenhum para me dar conselhos? Felizmente, apercebi-me de que estava a sentir-me na defensiva e que o meu ego tinha sido despoletado.

Artigo anterior

Vamos comer urtigas?

Próximo artigo

O stress tomou conta da sua vida? Abrace a prática das novas tendências de bem-estar