Home»ATUALIDADE»EDITORIAL»Vive no futuro? Confesse lá…

Vive no futuro? Confesse lá…

Pinterest Google+
PUB

A vida é um stress. Para a maioria das pessoas. É o levantar cedo, despachar filhos – quem os tiver -, correr para o trabalho, levar com o chefe, sair a correr para apanhar o transporte, ou levar com filas de trânsito, ir buscar os filhos, tratar do jantar, banhos… já estamos todos cansados.

 

Se não gosta da vida que leva, tente mudá-la. Ou, pelo menos, tente tirar o maior proveito dela. Terá com certeza aspetos positivos.

 

É o que eu faço, e sempre fiz, desde bem nova. Se algo não me agradava, não ficava à espera que chovesse. Sempre tentei mudar a situação. E consegui. Sempre em busca da felicidade. O que importa é fazermos aquilo que queremos nas várias esferas da nossa vida. Numas consegue-se, noutras não. Tenta-se mais tarde. Mas temos o controlo da nossa vida, e esta é o resultado do que fazemos por ela. Eu tenho conseguido ter uma vida e mente tranquilas.

 

Todo este stress faz as pessoas viverem no futuro. Estão agora a pensar que têm de correr para o trabalho. Estão no trabalho a pensar que a seguir têm de passar pelo supermercado antes de chegarem a casa. Não se vive no presente. Na mente, está sempre a agenda do futuro.

 

Se se identifica com esta realidade, vale a pena ler a entrevista que fizemos a Vasco Gaspar, perito em mindfulness. E que conceito é este? Nas palavras do próprio: «É a capacidade de estarmos presentes no que está a acontecer no agora. É estar aqui, sem estar perdido em pensamentos do futuro ou lembranças do passado. Ter a mente e o corpo no mesmo sítio, algo que parece óbvio, mas que não fazemos na maior parte do tempo».

 

Não é fácil. Mas a mente é que comanda tudo. Se a mente está bem, tudo o resto se leva de forma bem mais leve e positiva. Dê atenção ao seu lado mental. Se cuida do corpo, para ele estar saudável, não se esqueça de tratar também muito bem da sua mente. Há muitas formas de o fazer. Encontre a sua.

Artigo anterior

Drew Barrymore dedicada ao mundo dos negócios

Próximo artigo

Mark Rufallo encontra os seus pertences através do Twitter