Home»BEM-ESTAR»CORPO»Vigorexia: o culto do músculo

Vigorexia: o culto do músculo

Ter músculos, aparentar uma boa figura e sonhar com uma barriga firme e delineada por abdominais pode transformar-se numa obsessão. Esta é definida como uma preocupação com algum defeito imaginário na aparência física de uma pessoa com aparência e estrutura normal.

Pinterest Google+
PUB

Ter um corpo perfeito e escultural é o sonho de muitos. Ter músculos, aparentar uma boa figura e sonhar com uma barriga firme e delineada por abdominais pode transformar-se numa obsessão.

 

Esta nova patologia, chamada de vigorexia ou de transtorno dismórfico muscular está intimamente associada com a autoestima, a problemas alimentares e por vezes à falta de segurança.

 

As pessoas que padecem desta patologia têm uma “perceção distorcida do seu corpo”, geralmente, vêem-se mais fracos do que realmente são, e por isso acabam por praticar desporto excessivamente sem pensar nas consequências para o seu organismo.

 

VEJA TAMBÉM: COMPOSIÇÃO CORPORAL: AFINAL ESTOU A PERDER PESO OU NÃO?

 

A vigorexia é uma patologia que afeta sobretudo os homens, com idades compreendidas entre os 18 e os 35 anos. Mas, nunca esquecendo que a percentagem de pessoas com este transtorno é mais elevada entre aqueles que praticam halterofilismo ou culturismo de competição ou não.

 

Comportamento dos vigorexicos

Os “vigoréxicos” costumam ser indivíduos pouco maduros, introvertidos, com problemas de integração, baixa autoestima, reduzida imagem e com algumas dificuldades em integrar-se nas atividades habituais. Este transtorno pode estar associado a problemas de ansiedade, de depressão e de obsessão, assim como de uma perturbação das suas relações sociais e quotidianas.

 

O seu ritual diário consiste em pesar e contemplar-se constantemente ao espelho várias vezes ao dia. Dedicam muitas horas à prática de musculação e têm uma alimentação estritamente hiperproteica para puder ganhar mais massa muscular.

 

musculo

As características que se seguem demonstram melhor esses comportamentos:
– Relação obsessiva com o peso e a balança

– Obsessão pela musculatura

– Dieta baixa em gorduras e ricas em proteínas e hidratos de carbono

– Dietas hipercalóricas (de elevadas calorias)

– Uso de suplementos alimentares, hormonais e anabolizantes

– Comparações com outros indivíduos do ginásio.

 

Viver no ginásio

Quem padece desta patologia só anseia por uma imagem perfeita. Regra geral, o indivíduo não consegue suportar a ideia de passar um só dia sem frequentar o ginásio. A ideia de aumentar a sua musculatura a curto prazo, tendo como objectivo principal o culto do corpo e o puro prazer de sentir-se bem consigo próprio, acaba por não ter o mesmo rendimento que para a maioria dos desportistas, cujo o objetivo a alcançar é a médio ou a longo prazo.

 

Esta obsessão pelo corpo provoca nos indivíduos um desinteresse pela sua vida quotidiana, do seu papel na sociedade, vivem somente para eles, despreocupam-se de tudo, desde a família até aos estudos ou ao trabalho. Em suma, o seu comportamento varia sem que, aparentemente estes “narcisistas” estejam conscientes da sua nova situação.

 

Continua na próxima página…

Artigo anterior

Vídeo: Como se abre uma ostra

Próximo artigo

As recomendações da DGS para a alimentação em viagem