Home»LAZER»DICAS & VIAGENS»Viajar de avião: as diferenças entre hoje e há 70 anos

Viajar de avião: as diferenças entre hoje e há 70 anos

Skycop, empresa que defende os passageiros e os seus direitos, fez um apanhado das maiores mudanças nas viagens aéreas nos últimos 70 anos. Fumar e beber era permitido, as refeições eram em loiça de porcelana e com talheres de prata, estar acima das nuvens era sinónimo de festa…

Pinterest Google+
PUB

7 – Voar, naqueles tempos, era um sinal de riqueza. As viagens aéreas eram vistas como um meio de transporte luxuoso e aventureiro com confortos que seriam inimagináveis nos nossos dias. Bares, mesas e até pianos estavam no avião para dar a melhor experiência de luxo. E, enquanto hoje se queixa sobre a falta de espaço para as pernas, há 50 anos, havia espaço suficiente não só para se sentar confortavelmente, como para andar ou até mesmo dançar.

 

8 – A comida nos aviões era também bastante diferente. Hoje pode ter direito a um snack de cortesia, mas naquele tempo, jantar nas nuvens tinha, sim, adivinhou, um sabor luxuoso. Refeições servidas em serviços de porcelana nos quais comia com talheres de prata. Saladas, carnes e até mesmo lagosta eram refeições servidas durante os voos e poderia “empurrar” tudo com um copo de champagne ou brandy. Na realidade, beber durante o voo era bastante comum uma vez que não havia muito mais a fazer a bordo. Sim, algumas pessoas liam livros, escreviam postais ou jogavam xadrez, mas muitos preferiam ter a experiência de uma festa acima das nuvens, regada com muita bebida. Agora tem os passageiros têm os seus aparelhos eletrónicos para entreter durante o voo com várias horas de filmes, música e jogos.

 

VEJA TAMBÉM: TELEFÉRICOS: UMA VIAGEM PELAS ALTURAS EM PORTUGAL

 

9 – Aviões nos anos 50 e 60 tinham regras bastante livres no que diz respeito a fumar, sendo a única regra que só poderia fumar depois de levantar voo. Imagine-se fechado num ambiente cheio de fumo durante horas sem um sopro de ar fresco. Se é disso que gosta, teria adorado aquela época. Na realidade, os aviões apenas proibiram os passageiros de fumar no final dos anos 90, portanto, fumar nos aviões é um passado não tão longínquo.

 

10 – No entanto, enquanto as viagens nos anos 50 e 60 soam mais glamorosas e divertidas, eram muito mais perigosas do que são hoje em dia. Não era seguro aterrar com nevoeiro, havia vários acidentes e colisões no ar eram comuns. Pode parecer engraçado, mas os motores costumavam cair do avião e costumava acontecer com tanta frequências que contratempos como esse já não eram contados como acidentes, desde que o outro motor conseguisse aterrar o avião em segurança.

 

VEJA TAMBÉM: COMO COMBATER O JET LAG

 

11 – Turbulência também era uma preocupação a ter em conta – hoje em dia é apenas um pequeno susto para os passageiros, mas naquele tempo poderia custar-lhe a vida. Os aviões tinham tetos mais baixos e os cintos de segurança tinham um design inferior, pelo que a turbulência poderia partir o pescoço a algum dos passageiros. Outro perigo de segurança eram os separadores de vidro que separavam a primeira classe da económica e, ainda que dessem um bom aspeto, a turbulência poderia fazer com que se partissem.

 

12 – Viagens durante os anos 50 e 60 eram bastante lentas à luz do que temos hoje. De acordo com os horários de voo da Aer Lingus em 1952, um voo de Dublin para Londres demorava 3 horas e de Dublin para Paris 4 horas e 25 minutos. Hoje, o mesmo voo com as mesmas companhias aéreas demoraria uma hora e 35 minutos e uma hora e 45 minutos, respetivamente.

 

No final de contas, terão sido os “Anos Dourados das viagens de avião” realmente tão dourados assim? Você decide.

 

 

Artigo anterior

Universidade de Coimbra propõe terapia inovadora para eliminar vírus SARS-CoV-2 em segundos

Próximo artigo

Sinais de que está com falta de cafeína