Home»ATUALIDADE»ENTREVISTAS»Vera Ribeiro: «Temos uma capacidade inata para seduzir»

Vera Ribeiro: «Temos uma capacidade inata para seduzir»

É psicóloga clínica, mestre em sexologia e acaba de lançar o livro ‘Manual de Sedução: Jogos sensuais, técnicas e tudo o que precisa para ter mais prazer’, onde convida as pessoas a percorrerem o lado mais secreto do seu íntimo, a descobrir o prazer, a aprender a despertar no outro o desejo e a deixar-se seduzir. Porque, diz, a conquista e o amor estão em crise…

Pinterest Google+

Por falar em relações longas, qual o principal ingrediente para manter a chama acesa?

Manter a sedução e a relação dita de casal sempre! Deve ser feito um ponto de situação regular da relação, para que ambos possam delinear estratégias para manter essa chama acesa. No livro podem encontrar várias opções, das mais criativas às mais simples… tudo depende do tipo de relação que o casal tem e da forma que pretende alimentar a chama da relação. Mas se o investimento for regular é muito fácil e simples manter a cumplicidade e interesse.

 

Mas com vidas tão atarefadas há quem defenda programar os momentos a dois. Acabar com o inesperado não pode reduzir também a chama no casal?

Muitas pessoas argumentam que não têm tempo para nada, mas na grande maioria dos casos necessitam de fazer uma pausa e olhar para a vida que levam no momento… O que ando eu a fazer? o que é mais importante para o bem-estar? A minha relação está em que patamar nas minhas prioridades? Quando se fala de tempo para os dois não é fazer uma “escala” para o dia em que pretendem (podem) ter relações sexuais.. nada disso! É sim para ter momentos “obrigatórios” para estar em relação, nem que seja para falarem de como se sentem um com outro.. a relação sexual acontece quando o casal está saudável, porque é uma consequência desse estado e não a causa.

 

VEJA TAMBÉM: RESOLUÇÕES DE SEXO: MUDE HOJE A SUA VIDA ÍNTIMA

 

E agora a eterna questão: homens e mulheres são realmente diferentes no sexo ou é um mito?

Sim somos. Há que sublinhar isso. Os nossos cérebros são diferentes, sentem e pensam de forma diferente no que toca à sexualidade por razões essencialmente hormonais. A vontade de um não tem de ser (e não é) necessariamente igual à do outro. O homem produz testosterona em quantidades superiores à mulher, durante o período noturno.. acumulando todos os dias esses níveis elevados durante o período de sono. Enquanto que a mulher tem um ciclo hormonal mensal, sendo variável a sua forma de estar perante a sexualidade ao longo do mês… logo nunca poderíamos ser idênticos!

 

Na sua profissão, quais são os principais problemas que lhe são colocados?

São pedidos de solução para disfunções sexuais. Desejo sexual hipoativo, anorgasmia (mulher). Disfunção eréctil e ejaculação rápida no homem.

 

Que mensagem quer deixar aos portugueses com este livro?

Que melhorem a sua sexualidade, seja na sua relação ou individualmente. Prevenir eventuais disfunções sexuais futuras. Aprender a amar e desfrutar da sua relação em pleno.

 

Veja agora, na galeria no início do artigo, alguns conselhos para melhorar a vida sexual dos portugueses, segundo Vera Ribeiro.

Artigo anterior

Ayurveda doce Ayurveda: 10 passos para o retorno a nós mesmos

Próximo artigo

Previsões astrológicas para o mês de março de 2018