Home»S-Vida»Vencer enxaquecas e cefaleias em tempo de confinamento

Vencer enxaquecas e cefaleias em tempo de confinamento

Numa altura em que todos estamos ainda condicionados e muitas pessoas em teletrabalho, existem alguns os fatores que podem contribuir para aumentar as crises de enxaqueca e cefaleias. Passamos muitas horas seguidas ligados a dispositivos tecnológicos e os momentos de stress que vivemos, bem como a alteração das rotinas diárias, podem prejudicar a saúde das pessoas que sofrem destas doenças.

Pinterest Google+
PUB

Em primeiro lugar, é importante esclarecer que nenhuma cefaleia crónica (enxaqueca, cefaleia de tensão, cefaleia em salvas, nevralgia do trigémeo) confere maior risco de infeção pelo coronavírus e que quem sofre desta patologia pode e deve continuar a tomar a medicação que faz normalmente. E em caso de infeção, os doentes com cefaleias não estão em maior risco de virem a desenvolver complicações ou quadros graves do que a população geral.

 

Devemos manter o tratamento prescrito pelo médico e ter o cuidado de ter medicação suficiente em casa para pelo menos um mês, tanto a medicação profilática como a medicação usada em situação aguda – SOS. Sempre que se tem uma crise devemos tomar a medicação o mais cedo possível para não agravar a situação, que depois será mais difícil de controlar.

 

Em caso de crise e uma vez que nos encontramos em casa podemos tomar medidas não farmacológicas que ajudem a aliviar a crise. É importante descansar em ambiente sossegado, longe de fontes de luz ou de barulho. Podemos aplicar bandas frias ou gelo nas frontes ou têmporas ou tomar um duche quente.

 

VEJA TAMBÉM: O DIA ESTÁ PÉSSIMO? RECEITAS CASEIRAS CONTRA A ENXAQUECA

 

 

Manter as rotinas

As rotinas são as melhores amigas dos doentes com enxaqueca e outras cefaleias. Quando fugimos à nossa rotina habitual é mais provável termos uma crise. Assim, apesar da quarentena nos obrigar a mudar drasticamente a nossa vida, para evitar crises temos de tentar manter a rotina em tudo o que conseguirmos, horas de adormecer e acordar, horas das refeições e não deixar de praticar exercício físico regular.

 

Devemos manter as rotinas de sono, tendo o cuidado para não dormir demais ou de menos, acordar sempre à mesma hora e garantir que se dorme o número de horas suficientes.
Havendo um maior risco de excessos, nesta situação de quarentena, devemos manter uma alimentação saudável, com quantidade suficiente de legumes e hortícolas frescos, leguminosas e frutas. É importante manter os horários das refeições e não saltar refeições.

 

O café em excesso ou a ausência do café habitualmente consumido pode potenciar o aparecimento de cefaleias, pelo que a redução no número de cafés que bebemos deve ser muito gradual. A ingestão de água ou chás sem cafeina e sem açúcar também é muito importante para manter uma boa hidratação.

 

cafe com chocolate

A prática de atividade física regular pode ser um aliado no controlo da frequência das crises de cefaleias e ainda ajuda a reduzir a ansiedade e stress, a relaxar os músculos e até ficar mais bem-disposto. Idealmente é aconselhada a prática de exercício físico diariamente, pelo menos meia hora por dia.

 

Nesta altura em que muitas pessoas estão a trabalhar em casa em teletrabalho e estão muitas horas seguidas em frente de computadores, tablets ou smartphones, a sua utilização em excesso pode contribuir para o aumento de cefaleias, pelo que devemos fazer intervalos regulares com interrupções de 10 minutos a cada hora, em que nos devemos levantar e andar.

 

Devemos adotar uma posição correta, com o ecrã ao nível dos olhos, sem necessidade de fletir o pescoço. Aumentar o tipo de letra e reduzir a luminosidade dos ecrãs poderá também ajudar a reduzir o esforço da visão e evitar o aparecimento de crises.

 

Embora seja importante manter-se atualizado, ouvir notícias sobre a pandemia também pode ser um fator gerador de grande ansiedade, pelo que devemos ver ou ouvir noticiários apenas uma vez por dia, por forma a reduzir essa ansiedade.

 

O stress é um fator desencadeador de crises para a maioria dos doentes com cefaleias. Nesta altura de pandemia e quarentena é normal experienciarmos um maior nível de stress, aumentando a probabilidade de desenvolver crises ou intensificar as crises. Tentar controlar o stress e ansiedade é muito importante no controlo das cefaleias, por exemplo através de atividades de relaxamento ou atividades como ler ou brincar com animais de estimação.

 

Na MiGRA PORTUGAL – Associação Portuguesa de Doentes com Enxaqueca e Cefaleias, pretendemos esclarecer e dar acesso a informação fidedigna, para melhor poder ajudar os nossos associados e quem nos procura sobre formas de lidar com estas patologias. Estamos totalmente disponíveis para as pessoas que precisam de ajuda e querem fazer parte da nossa associação. Saiba mais aqui.

 

 

Artigo anterior

Estratégias para acabar com a desmotivação no trabalho

Próximo artigo

Lasers: quais os tipos e qual a melhor altura do ano para realizar?