Home»ATUALIDADE»ESPECIALISTAS»Vamos plantar? As cenouras amam os tomates!

Vamos plantar? As cenouras amam os tomates!

A magia da plantação consociada é algo de extraordinário que ao longo dos tempos tem fascinado o Homem.

Pinterest Google+

Em agricultura biológica, a rotação e a consociação de culturas são princípios que devem ser respeitados para otimizar a produção. Existem plantas que cooperam entre si, quer porque fornecem “alimento”, quer porque repelem insetos, ou porque atraem os polinizadores.

 

E também existem espécies que simplesmente não se favorecem e por esse motivo não devem ser colocadas perto… é um mundo fantástico sobre o qual vamos dar algumas dicas de como melhorar o rendimento da sua horta caseira.

 

Para quem já tem a sua horta, abril é época para colher cebolas, acelgas, espinafres, alho francês, espargos, couves, plantas para salada como alface, rúcula, mizuna…

 

Se optar por semear, é a altura indicada para semear beringelas, tomates, brássicas (couves, brócolos…) cenouras, beterrabas, aipos, malaguetas, pimentos, curgetes, abóboras, feijão verde, nabos, pepinos, alfaces, Rúcula, melão, melancia.

 

Em abril, com a temperatura a subir plante abóboras, alcachofras, alfaces, batatas, batata doce, brócolos, cebolas, feijão verde, milho, rabanetes, tomates, pepinos, pimentos.

 

Afinal, porque as cenouras amam os tomates?

Um dos grandes inimigos das cenouras é a mosca da cenoura, contudo, quando se consociam culturas com cheiros fortes e diferentes de duas plantas, o que acontece é que o inseto nem chega a colocar os ovos, afastando-se rapidamente com o cheiro que para eles é desagradável.

 

No caso das cenouras, o tomateiro é uma das plantas que favorece o afastamento da praga, assim como a cebola ou o alho francês. Este é apenas um exemplo de como consociando plantas se reduz a probabilidade de existência de uma praga, logo a não necessidade de aplicação de produtos para o combate a pragas.

 

Por outro lado, existem plantas antagónicas. São plantas que interagem e que têm um efeito inibidor uma sobre a outra, o que pode acontecer por vários motivos, como por exemplo o facto de competirem pelo mesmo recurso, água, luz, nutrientes ou até a produção de algum inibidor químico. Um exemplo de plantas antagónicas é o alho e a ervilha ou o feijão.

 

De seguida daremos alguns exemplos de associações hortícolas benéficas e desfavoráveis:

Vamos plantar? As cenouras amam os tomates!

 

Nas próximas publicações, daremos mais algumas dicas, como por exemplo o controlo/prevenção de pragas, consociações, entre outros. Até lá, bons cultivos…

 

Biobliografia:

Riotte, Louise, As Cenouras Amam os Tomates – A Plantação Consociada, Segredo para o Sucesso em Hortofloricultura, Publicações Europa América

Thorez, Jean-Paul, Guia de Agricultura Biológica – Hortas, Pomares e Jardins, Vida Editores, Maio de 2011

Artigo anterior

Como lidar com a resistência de quem me ouve?

Próximo artigo

Estigmas com o peso começam logo em criança, revela estudo