Home»ATUALIDADE»ESPECIALISTAS»Vá de férias, mantenha a saúde!

Vá de férias, mantenha a saúde!

O verão é, para muitas famílias portuguesas, sinónimo de férias. Sair da rotina, sair de casa, ir para a praia ou viajar são opções de lazer que aumentam o bem-estar e a satisfação com a vida. Para que este período decorra de forma tranquila e sem sobressaltos, tome nota de alguns cuidados essenciais para se manter saudável.

Pinterest Google+
PUB

CONSULTA DO VIAJANTE

Se pensa fazer uma viagem ao estrangeiro, planeie-a antecipadamente. Deve ter em conta que se vai expor a novas condições ambientais, o que, associado à fadiga e ao stress, pode afetar a sua saúde. Os riscos são diferentes consoante o destino e a duração da viagem, o tipo de alojamento e higiene dos alimentos consumidos, alguns comportamentos ou hábitos, a sua idade e seu estado de saúde.

 

Deve agendar uma consulta do viajante para ser informado sobre os cuidados indicados à zona para onde vai viajar, a recomendação de fazer alguma vacina em particular e a necessidade de medicamentos específicos, como, por exemplo, para prevenção da malária.

 

No caso de necessitar de vacinação, esta deve começar, em regra, quatro semanas antes de iniciar a viagem, para que o seu organismo fabrique as defesas adequadas, pelo que a consulta deve ser realizada com antecedência!

 

VEJA TAMBÉM: DOENÇAS TRANSMITIDAS POR MOSQUITOS: OS SINAIS DE ALERTA E COMO SE PROTEGER

 

CUIDADOS COM O CALOR

A exposição a períodos de calor intenso, particularmente durante vários dias consecutivos, constitui uma agressão para o organismo, podendo originar problemas como desidratação, agravamento de doenças crónicas, cãibras por calor e golpes de calor, esta última situação muito grave, e que pode provocar danos irreversíveis na saúde.

 

As crianças nos primeiros anos de vida, pessoas com 65 ou mais anos e pessoas com doenças crónicas são mais vulneráveis aos efeitos do calor intenso e exigem uma atenção especial e medidas reforçadas para estarem protegidas.

 

Nos dias de maior calor, tenha em atenção o seguinte:

  • beba água frequentemente, mesmo quando não tem sede; ofereça às crianças mais água que o habitual;
  • permaneça em ambientes frescos ou com ar condicionado;
  • evite a exposição direta ao sol;
  • utilize chapéu e protetor solar (aplique o protetor solar antes de sair de casa);
  • prefira roupas leves, soltas e de cor clara;
  • faça refeições mais leves e coma mais vezes ao dia.

 

Em período de férias deve procurar manter ou iniciar uma atividade física regular. Se estiver calor:

  • comece e termine a atividade física de forma lenta e gradual: opte pela manhã cedo ou pelo final do dia e evite as horas de maior exposição solar, entre as 11h e as 17h;
  • beba água frequentemente: antes, durante e no final da prática de atividade física. Se transpirar muito, opte por uma bebida com eletrólitos (bebidas para desportistas);
  • evite consumir líquidos com muito açúcar;
  • realize atividade física com companhia;
  • pare de imediato a atividade se sentir fraqueza ou sensação de desmaio.

 

E SE OCORRER UMA QUEIMADURA SOLAR?

A exposição solar sem proteção é um risco para a saúde. Na pele, pode provocar queimaduras, rugas, manchas e cancro. Nos olhos provoca cataratas. Para evitar estes riscos, proteja-se do sol. As crianças, as pessoas de pele clara que se queimam facilmente, as que têm muitos sinais e as que têm algum familiar com cancro da pele e os idosos são mais vulneráveis à exposição solar.

 

Lembre-se que os raios solares se refletem na água e na areia, pelo que deve proteger-se também quando está dentro de água ou debaixo de um chapéu de sol! Procure as sombras. Evite sobretudo a exposição solar entre as 11 e as 17 horas. Não deixe de o fazer nos dias nublados! Se estiver na montanha, tenha em conta que a intensidade dos raios solares é maior devido à altura e pode queimar a pele em menos tempo.

 

Proteja-se com chapéus que cubram o nariz, as pálpebras e as orelhas. Proteja-se também com roupa leve que cubra braços e pernas. Utilize óculos de sol que filtrem as radiações UV A e B.

 

Utilize protetores solares com fator de proteção alto (30 ou 50). Aplique em toda a pele 30 minutos antes da exposição solar. Não se esqueça das pálpebras, do nariz, dos lábios e das orelhas. Se tiver pouco cabelo, aplique também no couro cabeludo. Depois será necessário repetir a aplicação cada 2 horas e sempre que transpire em demasia ou tome banho.

sol

Se já tem uma queimadura solar:

– Aplique sobre a queimadura panos húmidos e frios durante 10 a 15 minutos várias vezes por dia para aliviar o calor e a dor. Depois, aplique uma loção hidratante ou gel de aloé vera.

– Se aparecerem bolhas, não as rebente.

– Pode aliviar a dor com medicamentos (paracetamol ou ibuprofeno).

– Proteja a pele queimada de novas exposições solares até que se cure totalmente e depois durante várias semanas.

 

PICADAS DE ANIMAIS MARINHOS

Pisar acidentalmente peixes ou outros animais marinhos venenosos, como os ouriços-do-mar e o peixe-aranha, pode provocar-nos uma lesão por picada, que causa geralmente dor tipo queimadura e inchaço.

 

As medusas (pequenas alforrecas com longos filamentos, relativamente raras em Portugal) provocam lesões na pele quando entramos em contacto com os seus tentáculos ou filamentos. Produzem dor muito intensa e uma lesão avermelhada em forma de chicotada com bolhas que podem deixar cicatriz permanente.

 

O que fazer em caso de lesão?

 

Peixes venenosos

– Lave a zona da picada com água abundante com o objetivo de eliminar o maior número possível de picos/espinhas.

–  Introduza a zona afetada em água o mais quente possível, sem se queimar, durante uns 30 minutos. O calor destrói as toxinas do veneno. Se não o conseguir fazer, use panos ou toalhas quentes ou tome um duche quente.

– Para eliminar o resto dos picos, utilize umas pinças ou luvas protetoras; o canto de um cartão de crédito, por exemplo, também pode ajudar. Se notar que os picos não saem com facilidade, é melhor não continuar a tentar tirá-los, pois pode introduzi-los mais na pele e facilitar a infeção. Neste caso, recorra a um serviço de saúde.

Mantenha o membro elevado e em repouso.

Pode tomar um analgésico (como o paracetamol), se precisar.

Desinfete diariamente a zona com uma solução antisséptica.

 

Ouriço-do-mar

A extração dos espinhos do ouriço-do-mar deve fazer-se com cuidado, rapidez e de forma imediata, já que esta é a forma mais simples. Se o fizer mais tarde, primeiro

amoleça a zona com água tépida e salgada, pois os espinhos são frágeis e partem-se com facilidade.

Retire o espinho com pinça e assegure-se de que sai inteiro. Não deve mexer nem apertar a zona da pele onde está cravado. Depois, lave a zona com vinagre.

 

Medusas

Não esfregue a zona afetada, nem com areia nem com a toalha. Retire com cuidado os tentáculos que ainda permaneçam pegados à pele, utilizando uma pinça ou luvas protetoras.

Depois lave a zona com água salgada abundante. Não utilize água doce ou água fria porque facilita a descarga do veneno dos tentáculos. Aplique frio sobre a zona afetada durante uns 15 minutos. Depois aplique compressas embebidas em vinagre durante vários minutos.  Pode tomar um analgésico, se precisar. Realize tratamentos diários da lesão.

 

Se o estado geral piorar progressivamente ou iniciar sintomas respiratórios, se não conseguir extrair os espinhos com facilidade ou se aumentar a dor ou o inchaço, com pus na zona da lesão, deve procurar um serviço de saúde.

 

Disfrute deste precioso e merecido tempo de descanso e use-o em benefício da sua saúde!

 

 

Artigo anterior

Gluteoplastia: glúteos perfeitos

Próximo artigo

A sério, vamos começar a educar realmente?