Home»FOTOS»Uso de probióticos poderá reduzir necessidade de antibióticos em bebés e crianças

Uso de probióticos poderá reduzir necessidade de antibióticos em bebés e crianças

Os probióticos são microrganismos vivos que promovem o equilíbrio saudável de bactérias no intestino que estão associadas uma série de benefícios para a saúde. Num novo estudo internacional, verificou-se uma redução na prescrição de antibióticos que pode chegar aos 29% em bebés e crianças que consomem probióticos diariamente.

Pinterest Google+

O uso de probióticos pode, segundo um estudo produzido por um conjunto de investigadores internacionais, reduzir a necessidade de prescrição de antibióticos a crianças e bebés. Os probióticos utilizados nos estudos foram os Lactobacillus e os Bifidobacterium. Neste estudo, realizado por cientistas dos EUA, Inglaterra e Holanda e publicado na ‘Revista Europeia de Saúde Pública’, foi descoberto que a toma de probióticos diariamente leva a menos de 29% de hipóteses de ser necessário recorrer ao uso de antibióticos.

 

Para Daniel Merenstein, investigador sénior deste estudo e professor na Faculdade de Medicina da Universidade de Georgetown, nos Estados Unidos da América, estes resultados são bastante intrigantes. «Dada esta descoberta, existe uma maneira de reduzir o uso de antibióticos através do uso de probióticos de uma forma regular», explica.

 

VEJA TAMBÉM: ALIMENTOS FUNCIONAIS – PREBIÓTICOS, PROBIÓTICOS E SIMBIÓTICOS

 

Segundo o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC), anualmente nos EUA existem cerca de dois milhões de casos de infeções resistentes a antibióticos, o que acaba por provocar cerca de 23.000 mortes. Reduzir o uso de antibióticos pode ser uma firma de combater esta resistência aos medicamentos. Conheça alimentos ricos em probióticos na galeria acima.

 

«Nós já temos as evidências de que consumir probióticos pode reduzir a incidência, duração e gravidade de algumas destas infeções. A questão é se esta redução está ligada ao declínio do uso de antibióticos», diz Merenstein, que acredita que ainda é necessário ver se existe uma associação entre o uso de probióticos e a redução da necessidade da prescrição de antibióticos para o tratamento de várias questões, algumas relacionadas com uma população mais idosa.

 

«Não conhecemos todos os mecanismos que os probióticas podem alavancar. Mas como a maior parte do sistema imunológico humano se encontra no trato gastrointestinal, a ingestão de bactérias saudáveis pode excluir competitivamente patógenos bacterianos ligados a infeções intestinais e pode estimular o sistema imunológico a combater outros », diz o investigador.

 

VEJA TAMBÉM: FLORA VAGINAL E PROBIÓTICOS: GINECOLOGISTA EXPLICA RELAÇÃO BENÉFICA

 

Os probióticos podem ajudar a resolver, entre outras, infeções nos tratos respiratórios e digestivos, pois estas bactérias saudáveis podem ajudar o sistema imunológico a combater bactérias que colocam em causa a sua saúde. Porém, «mais estudos são necessários em todas as idades, particularmente nos idosos, para ver se o uso dos probióticos está ligado a uma redução geral nas prescrições de antibióticos. Se isto for assim teríamos um grande impacto na medicina geral», explica outra das autoras deste estudo, Sarah King, da Universidade britânica de Cambridge.

 

Os probiótios são microrganismos vivos que promovem o equilíbrio saudável de bactérias no intestino que estão associadas uma série de benefícios para a saúde. Conheça 11 alimentos super saudáveis e ricos nestes microorganismos, na galeria no início do artigo.

 

Artigo anterior

Carreira: conheça o poder da linguagem corporal

Próximo artigo

Batata-doce: descubra os encantos desta doce raiz