Home»VIDA»DIREITOS HUMANOS»Universidade de Coimbra lança plano para promover igualdade e diversidade até 2023

Universidade de Coimbra lança plano para promover igualdade e diversidade até 2023

Um diagnóstico à comunidade da instituição revelou insuficiente consciencialização sobre a importância da igualdade de género e fragilidades na dimensão de género no ensino e na investigação.

Pinterest Google+
PUB

A Universidade de Coimbra (UC) reforça o seu compromisso e empenho na promoção de uma cultura organizacional mais justa e inclusiva ao lançar um Plano para a Igualdade, Equidade e Diversidade, que envolve toda a organização.

 

Este Plano foi elaborado com o apoio do projeto “SUPERA | Supporting the Promotion of Equality in Research and Academia” e está alinhado com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável “Igualdade de Género” e “Reduzir Desigualdades”.

 

VEJA TAMBÉM: QUOTAS PODEM IMPULSIONAR PROGRESSO NO EQUILÍBRIO DE GÉNERO NA POLÍTICA E NOS NEGÓCIOS

 

Depois de um diagnóstico à comunidade, que revelou alguns desafios, como a insuficiente consciencialização sobre a importância da igualdade de género ou fragilidades na dimensão de género no ensino e investigação (onde, por exemplo, se constatou uma ausência de projetos específicos na igualdade de género ou desigualdades de género na obtenção e gestão de fundos), a UC preparou este Plano que tem como objetivo promover a mudança institucional no sentido da igualdade, equidade e diversidade, através da implementação de planos de ação.

 

O Plano para a Igualdade, Equidade e Diversidade da UC estabelece nove objetivos estratégicos, os quais se desdobram em objetivos específicos a atingir até 2023. A cada objetivo estratégico é ainda associado um conjunto de metas, que representam os impactos esperados após a implementação das ações.

 

Objetivos a atingir

Melhorar a conciliação entre o trabalho/estudo e a vida pessoal e familiar, esperando, por exemplo, que 90% dos estudantes mães e pais com crianças até aos cinco anos sejam abrangidos pelo estatuto mãe/pai estudante; promover a integração de mulheres e homens em áreas científicas/de estudos onde estão sub-representados, como promover o aumento do sexo feminino na área científica engenharias e tecnologias; ou integrar a perspetiva de género e os princípios de igualdade, equidade e diversidade em todas as áreas científicas, nos conteúdos educativos e de investigação, aumentando, por exemplo, o número de projetos de investigação que incluam estas perspetivas, são alguns dos objetivos estratégicos traçados neste plano.

 

«Neste documento procurou-se agregar um conjunto de metas e de ações que visam o combate a um enviesamento que é notório em diferentes áreas sociedade e onde as instituições de ensino superior não são exceção. Para além de outras, procurou-se aglutinar algumas medidas já constantes do Plano Estratégico da UC e do Plano de Ação da equipa reitoral, o que demonstra uma preocupação pretérita mas que urgia autonomizar num plano que se pretende de elevada operacionalidade nestas áreas de ação. Assim, sendo a UC uma universidade secular e universal não lhe poderia caber outro papel que não aquele que impusesse a subtração de comportamentos que conduzam a situações discriminatórias ou de desigualdade», afirma o Vice-Reitor da UC para a Qualidade, Desporto e Serviços de Ação Social, António Figueiredo.

 

O plano foi congratulado pela secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade, Rosa Monteiro.

 

O projeto SUPERA, do qual a UC é a única universidade portuguesa a fazer parte, visa combater as desigualdades entre mulheres e homens no mundo académico através do apoio à implementação de planos de ação para a igualdade de género em seis entidades europeias do sistema científico.

 

 

 

Artigo anterior

Como a homeopatia ajuda a combater as alergias de primavera

Próximo artigo

A fast food e as suas consequências