Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»UNICEF: casamento infantil diminui, mas 150 milhões de meninas deverão casar-se até 2030

UNICEF: casamento infantil diminui, mas 150 milhões de meninas deverão casar-se até 2030

A prevalência do casamento infantil está a diminuir globalmente, mas o objetivo mundial de acabar com esta prática até 2030 está comprometido, caso não se tomem medidas adicionais para acelerar a progressão, revelam novas estimativas. Na última década foram, no entanto, impedidos 25 milhões de casamentos infantis.

Pinterest Google+
PUB

As novas estimativas da UNICEF hoje reveladas indicam que 150 milhões de meninas com menos de 18 anos deverão casar-se até 2030, pondo em causa o objetivo mundial de acabar com o casamento infantil até essa data. Porém, a agência da Nações Unidas para a infância revela que cerca de 25 milhões de casamentos infantis foram impedidos na última década, graças ao progresso que se tem verificado nesta área de intervenção.

 

A prevalência do casamento infantil está a diminuir globalmente, com vários países a verem reduções significativas nos últimos anos, disse hoje a UNICEF em comunicado. Em geral, a proporção de mulheres casadas como crianças diminuiu 15 por cento na última década, de 1 em 4 para aproximadamente 1 em 5.

 

VEJA TAMBÉM: SUSTENTABILIDADE, TRANSPARÊNCIA E AUTENTICIDADE: AS PRINCIPAIS TENDÊNCIAS DO CONSUMIDOR PARA 2018

 

O sul da Ásia testemunhou o maior declínio no casamento infantil em todo o mundo nos últimos 10 anos, já que o risco de casar com uma menina antes do aniversário de 18 anos diminuiu mais de um terço, de quase 50% para 30%, em grande parte devido a progresso na Índia. O aumento das taxas de educação das meninas, os investimentos proativos do governo em meninas adolescentes e mensagens públicas fortes em torno da ilegalidade do casamento infantil e os danos causados ​​são uma das razões da mudança.

 

«Quando uma menina é forçada a se casar quando criança, ela enfrenta consequências imediatas e ao longo da vida. As suas hipóteses de terminar a escola diminuem, enquanto as hipóteses de serem abusadas pelo marido e sofrerem complicações durante a gravidez aumentam. Há também enormes consequências sociais e maior risco de ciclos intergeracionais de pobreza», afirmou Anju Malhotra, assessor principal de género. «Dado o impacto que a vida altera, o casamento infantil tem na vida de uma jovem, qualquer redução é uma novidade bem-vinda, mas temos um longo caminho a percorrer».

 

VEJA TAMBÉM: COMO CHEGAR AOS 100 ANOS… SEGUNDO TESTEMUNHOS REAIS

 

De acordo com novos dados da UNICEF, o número total de meninas casadas na infância agora é estimado em 12 milhões por ano. Os novos números apontam para uma redução global acumulada de 25 milhões de casamentos menores do que seria antecipado em níveis globais há 10 anos. No entanto, para encerrar a prática em 2030 – o objetivo estabelecido nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – o progresso deve ser significativamente acelerado. Sem aceleração, mais de 150 milhões de meninas casarão antes dos 18 anos até 2030.

Artigo anterior

Bivalves: novo sistema português consegue identificar origem geográfica e proteger saúde pública

Próximo artigo

Quer ser maquilhada pelas mesmas mãos que já embelezaram Paris Hilton?