Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»UNESCO recomenda que Grande Barreira de Coral da Austrália seja declarada Património Mundial em Perigo

UNESCO recomenda que Grande Barreira de Coral da Austrália seja declarada Património Mundial em Perigo

Após um ano de interregno, o Comité do Património Mundial da UNESCO vai reunir-se para a sua 44ª sessão, para avaliar as nomeações para a Lista de Património Mundial da UNESCO. O grande impacto das alterações climáticas neste aglomerado de recifes pode faze-lo perder o estatuto. O governo australiano opõe-se.

Pinterest Google+
PUB

A UNESCO – Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura recomenda que a Grande Barreira de Coral da Austrália, o maior complexo de recifes do mundo, seja declarada Património Mundial em Perigo, no próximo encontro do Comité do Património Mundial da UNESCO, que após um ano de interregno se vai reunir de 16 a 31 de julho, online e tendo a China como anfitriã.

 

Segundo a WWF Austrália, esta ‘descida’ de posição – que afetará o setor do turismo australiano que vive muito à volta dos recifes – é uma «mensagem muito forte» para que a Austrália tome mais medidas contra as alterações climáticas e perda de qualidade da água que estão a afetar drasticamente barreira de corais. Desde 1995, a Grande Barreira já perdeu metade dos seus corais.

 

O órgão da ONU, reunido atualmente em Paris para preparar a reunião do próximo mês, emitiu um projeto de decisão sobre o recife que será considerado pelo Comité do Património Mundial na reunião de julho.

 

VEJA TAMBÉM: CONHEÇA ALGUNS DOS MAIORES RECIFES DE CORAL DO MUNDO

 

«A recomendação da UNESCO é clara e inequívoca de que o governo australiano não está a fazer o suficiente para proteger o nosso maior património natural, especialmente nas mudanças climáticas», comenta Richard Leck, chefe de Oceanos da WWF Austrália.

 

E acrescenta: «A perspetiva de o nosso recife perder o estatuto de Património Mundial será um grande choque para muitos australianos, mas é uma mensagem poderosa de que nosso governo precisa de elevar urgentemente a sua ambição sobre as ameaças à sua existência – mudança climática e qualidade da água».

 

O governo australiano já veio dizer que se opõe a esta recomendação. Ao Channel Asia, a ministra do Meio Ambiente, Sussan Ley, disse que a decisão não leva em consideração os milhões de dólares gastos na tentativa de proteger o maior recife de coral do mundo.

 

Divulgado em Paris, os pontos principais do projeto de decisão incluem:

– Grande preocupação revelada pelo relatório Great Barrier Reef Outlook que mostra que o ecossistema se deteriorou muito mais depressa do que o esperado e passou de pobre a muito pobre.

 

– Observa também com a maior preocupação que, apesar de muitas realizações positivas, o progresso tem sido globalmente insuficiente no cumprimento das metas principais do Plano Reef 2050, em particular as metas de qualidade da água e gestão da terra.

 

– Observa que as mudanças climáticas continuam a ser a ameaça mais séria ao local e reconhece urgência de ação a nível local e internacional.

 

– Decide inscrever a Grande Barreira de Corais (Austrália) na Lista de Património Mundial em Perigo.

 

 

 

 

 

Artigo anterior

World Class Cocktail Festival: os melhores cocktails provam-se em Lisboa

Próximo artigo

Como a canela ajuda a destruir células de gordura