Home»FOTOS»Uma noite bem dormida pode melhorar a sua vida social

Uma noite bem dormida pode melhorar a sua vida social

Um sono saudável contribui para uma vida cheia de energia e evita problemas de saúde que, até certo ponto, se podem tornar graves e interferir em áreas menos óbvias, como nas relações interpessoais. A propósito do Dia Mundial do Sono, assinalado a 13 de março, o pneumologista e diretor da Associação Portuguesa do Sono, Joaquim Moita, explica como pode ter uma noite bem dormida e evitar tudo isto.

Pinterest Google+
PUB

Segundo a Sociedade Mundial do Sono, 35% das pessoas dizem não dormir o suficiente, o que pode ter forte impacto na sua saúde física e mental. Um sono saudável corresponde diretamente a uma vida dinâmica e energética, mas muitas vezes esquecemo-nos da sua importância. Apesar de a maioria dos distúrbios do sono serem tratáveis, é importante a consulta de um médico especialista no caso de irregularidades.

 

Para definir o seu sono como saudável, existem três fatores a ter em conta: a duração, que deve ser suficiente para que se sinta desperto no dia seguinte; a continuidade, pois os períodos de sono devem ser contínuos e não fragmentados; e a profundidade, ou seja, deve ter um sono profundo para que este possa ser regenerador.

 

Joaquim Moita, pneumologista e diretor da Associação Portuguesa do Sono, explica que conhecemos a importância do sono pelo mal que a sua falta nos faz: «A partir dos 18 anos devemos dormir entre sete a nove horas. Dormir menos, seja por opção, obrigação ou doença favorece o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, de obesidade, de diabetes mellitus e alterações hormonais. Os cancros como o da próstata e da mama são mais frequentes. E é também importante lembrar que o sono insuficiente leva a uma diminuição das defesas imunitárias contra diversos vírus».

 

VEJA TAMBÉM: TEM SONO DE MANHÃ? DEZ TRUQUES PARA COMEÇAR A ACORDAR COM ENERGIA

 

No entanto, os efeitos negativos da falta de sono são mais notórios nas áreas cerebrais. «A pessoa privada de sono tem, no dia seguinte, menor atenção, falhas de memória, maior irritabilidade. Fica sonolenta, adormece ou tem episódios incontroláveis de microsono, o que no trabalho ou na condução pode ter efeitos nefastos», explica o pneumologista.

 

Os distúrbios do sono causam não só uma carga individual como também uma carga social significativa, que pode dar origem a um problema de saúde pública. Direta ou indiretamente, o sono interruptivo pode ter um efeito negativo na vida e nos relacionamentos familiares, causando mudanças de humor e dificuldade na interação social.

 

Para além destes problemas, a falta de sono está também relacionada com problemas psicológicos mais graves, como é o caso da depressão, da ansiedade e da psicose. «Vivemos numa sociedade de atividade permanente, onde um terço do trabalho é feito por turnos incluindo noites. O lazer e a diversão podem ocorrer durante as 24 horas do dia e tudo isto gera sobretudo uma falta de respeito pelo sono», diz Joaquim Moita.

 

VEJA TAMBÉM: RESOLVA INCOMPATIBILIDADES DE SONO DO CASAL

 

Desta forma, é necessário perceber como podemos alcançar uma noite bem dormida. O pneumologista considera que o primeiro passo é criar um horário de deitar e levantar regular: «Ao acordar, devemos procurar imediatamente a exposição solar, pois a luz da manhã tem propriedades, como a radiação azul, que nos preparam para ter um dia ativo».

 

Também a atividade física regular, de manhã ou ao fim da tarde é recomendada. Joaquim Moita explica que, no entanto, «não se deve fazer exercício intenso nas horas que precedem a hora de deitar, pois aumenta a temperatura corporal central e com isso diminui a qualidade do sono, nem às 6 horas da manhã, por risco cardiovascular devido à elevação de cortisol».

 

VEJA TAMBÉM: CURIOSIDADES SOBRE O SONO: DO MEDO DE DORMIR AO SONHAR A PRETO E BRANCO

 

«O anoitecer acelera a produção de melatonina, a hormona que promove o sono. Mas essa hormona é inibida pela luz azul dos “LED”, componentes das lâmpadas modernas, que estão presentes nos televisores, nos telemóveis e nos tablets. Assim, deve evitar o uso destes equipamentos antes de se deitar», aconselha o pneumologista.

 

Em resumo, o mais importante é dedicar inteiramente a nossa atenção ao sono, no momento de deitar, conseguir desligar de tudo o resto e reunir as condições necessárias de serenidade para atingir uma noite de sono reparadora. Veja dez dicas para um sono saudável na galeria do início do artigo.

 

Artigo anterior

Sexta-feira, 13: Proteja-se com estes 25 amuletos da sorte

Próximo artigo

Flash News: a boa energia da tendência néon