Home»ATUALIDADE»ESPECIALISTAS»Um toque de moda para o tempo frio

Um toque de moda para o tempo frio

Com o tempo frio a chegar, já só pensamos em aninharmo-nos confortavelmente em roupa macia e quente. E, a avaliar pelas grandes tendências da estação, o desejo é unânime. Das passerelles ao street style, descontraído, para o trabalho ou para sair à noite, há um elemento que salta à vista e, principalmente, ao toque: as novas e envolventes texturas.

Pinterest Google+

Ricos, luxuriantes e aconchegantes, já para não dizer super estilosos, os materiais são rei.  Em casacos, camisolas, saias, vestidos, pashminas oversized ou acessórios, estes tem mesmo que agarrar:

 

Seda

Um luxo intemporal, é obrigatória mesmo no Outono. Em kimonos, vestidos, saias ou camisas, conjugada com sobretudos de tecidos mais pesados ou camisolas de lã, a suavidade da seda é uma afirmação de elegância e sofisticação.

 

Penas

Quentes e leves, dão corpo aos casacos, cachecóis oversized e malas desta estação. Consiga um look único e escolha usá-las em tecidos com estampados fortes, tweed ou com detalhes em pêlo.

 

Um dos materiais mais apetecíveis da estação, é também o mais versátil. Do escritório à festa mais badalada, nunca falha em estilo e conforto. A grande estrela da estação? O Vestido de lã. Simplesmente um must.

 

Pelúcia

Felpudo, fofo e macio é o toque de midas que quer no seu guarda roupa. Ecológica e eticamente sustentável, a pelúcia invadiu as grandes tendências e é vê-la em casacos, camisolas, remates, golas, echarpes, chapéus, e em todas as outras peças que a criatividade permitir. Como já percebeu, não a usar esta estação não é negociável.

 

Pelo de ovelha

Liberte a rebelde que há em si e use o pelo de ovelha em toda a sua estilosa glória. Numa abordagem assumidamente sofisticada e ousada, conjugue um casaco pelo de ovelha com uma boina e uns óculos oversized pretos. De Woodstock a Paris esta é claramente uma aposta ganha.

 

Veja imagens na galeria acima.

 

Artigo anterior

Poderão os nossos genes influenciar no tratamento do cancro da mama?

Próximo artigo

10% dos casos de cancro da mama estão associados a síndromes hereditários