Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Um europeu produz em média 11 kg de resíduos têxteis por ano

Um europeu produz em média 11 kg de resíduos têxteis por ano

A prevenção dos resíduos é um elemento fundamental da estratégia da Europa para a transição para uma economia circular. Um relatório da Agência Europeia do Ambiente destaca que a aplicação de alguns programas tem sido insuficiente para reduzir a quantidade de resíduos produzidos.

Pinterest Google+
PUB

Segundo a Agência Europeia do Ambiente (APA), em média, um europeu produz cerca de 11 kg de resíduos têxteis por ano. O valor foi apurado num relatório publicado recentemente que dá conta de que não há sinais de que o objetivo global de reduzir a produção total de resíduos esteja prestes a ser atingido. As conclusões do relatório evidenciam oportunidades para prevenir mais eficazmente os resíduos, com destaque para os têxteis.

 

Segundo a APA, na maioria dos países europeus, e na União Europeia como um todo, a produção de resíduos está a crescer, porém a um ritmo mais lento do que a economia.

 

A prevenção dos resíduos é um elemento fundamental da estratégia da Europa para a transição para uma economia circular eficiente em termos de recursos e com impacto neutro no clima. A produção de resíduos aumentou 5,2 % em toda a Europa entre 2014 e 2018, enquanto o PIB aumentou 14,8 % na UE de acordo com o relatório «Progressos no sentido de prevenir os resíduos na Europa — o caso da prevenção dos resíduos têxteis».

 

VEJA TAMBÉM: GRANDES EMPRESAS FAZEM GREENWASHING COM FALSAS ALEGAÇÕES CLIMÁTICAS

 

A mesma tendência dos dados também mostra que a adoção dos primeiros programas de prevenção de resíduos pelos países, aplicáveis na maioria dos países da UE a partir de 2013 ou antes, foi insuficiente para reduzir a quantidade de resíduos produzidos.

 

Resíduos continuam a crescer

A análise mostra que a produção de resíduos ainda está muito dependente dos desenvolvimentos na economia, mas, de um modo geral, a UE tem conseguido um crescimento da produção de resíduos inferior ao crescimento económico, a chamada dissociação relativa. No entanto, é necessário envidar mais esforços para garantir que os resíduos diminuam em termos reais numa economia em crescimento, informa a APA.

 

A análise da AEA deteve-se sobre os programas nacionais de prevenção de resíduos e, especificamente, sobre os fluxos de resíduos em destaque, nos indicadores, nas metas e nas medidas para prevenir os resíduos. A análise revelou que, atualmente, 10 dos 32 países avaliados não dispõem de um programa ativo de prevenção de resíduos, conforme exigido pela legislação da UE.

Os resíduos têxteis beneficiariam bastante de melhores medidas para prevenção dos resíduos, uma vez que se trata de um fluxo de resíduos em rápido crescimento e com impacto ambiental associado a padrões de consumo insustentáveis.

 

A prevenção dos resíduos têxteis tem um grande potencial, principalmente através da redução do consumo de têxteis, da ecoconceção e, em última análise, da reutilização, destaca a APA. Para facilitar este processo, deve ser dada ênfase à conceção dos produtos a fim de promover materiais resistentes e duradouros, devendo apoiar-se a reparação (p. ex., com recurso a incentivos fiscais) e à reutilização (p. ex., através da regulamentação), assinala a organização.

 

Artigo anterior

As profissões com mais saída após a pandemia

Próximo artigo

Primavera: como a epigenética molda a vida