Home»FOTOS»Um consulado de artes nasceu em Lisboa

Um consulado de artes nasceu em Lisboa

Não é um hotel, nem uma galeria de arte, uma loja, um bar ou apenas um restaurante, mas sim um conceito inovador que junta todos estes serviços num só lugar, na Praça Luis de Camões, 22.

Pinterest Google+

O antigo Consulado do Brasil, no Chiado, foi totalmente restaurado para acolher agora um local dedicado às artes, mas não só. O novo Le Consulat, que irá oficialmente abrir no dia 1 de junho, foi concebido como um lugar de encontro entre culturas, especificamente a portuguesa, a francesa, a espanhola e a italiana. Surge da paixão pela partilha de todos os aspetos da cultura em geral, juntando a criação artística, gastronomia, música e lifestyle, que irão estar patentes em 2.000m2 repletos de história. (Veja imagens na galeria acima)

 

Como um verdadeiro consulado, substitui-se a diplomacia pela arte e pelo intercâmbio de culturas e tradições que moldam o sul da Europa. Na origem deste conceito está François Blot e Valerie Guérend, dois sócios franceses, que depois de 25 anos de experiência em Paris no campo da arte contemporânea se apaixonaram por Lisboa e optaram por abrir o local que há muito sonhavam.

 

Veja também: Mértola, a Vila Museu

 

‘We are not only consumers’ é a máxima que inspirou todo este processo e que está na génese do nascimento do Le Consulat. Para a construção do projeto, foi-se juntando uma equipa de profissionais que fez crescer o conceito do Le Consulat. Adelaide Ginga, curadora de arte contemporânea e historiadora, exercendo também funções como docente, art-advisor e consultora na área de projetos artísticos, responsável no Le Consulat por toda a programação artística.

 

André Ribeirinho, um premiado empresário da área do vinho, responsável pelo conhecido projeto “Adegga.com”, irá ter a seu cargo o “Aperitivo Bar à Vins”. Este espaço irá oferecer uma seleção de charcutaria, queijos e vinhos onde os visitantes poderão saborear produtos locais e internacionais. André Magalhães, chef e responsável pelo restaurante “A Taberna da Rua das Flores”, também no Chiado, irá deliciar o paladar dos clientes com sabores que misturam o tradicional e o contemporâneo, convidando regularmente chefs internacionais.

 

Veja também: Parta à descoberta destas sete riquezas nacionais

 

Luis Mangas, criador de ambientes e proprietário da loja “Muito Muito” deu os toques finais na decoração, partilhando com os visitantes a sua paixão por objetos antigos encontrados durante anos nas suas viagens por Portugal. Mike Stellar, que desde 1996 tem sido anfitrião de alguns dos maiores eventos da cena musical de Lisboa, será o DJ residente, responsável pela programação de entretenimento no Le Consulat.

 

A partir de dia 26 de maio e até 25 de agosto, no primeiro andar do número 22 da Praça Luís de Camões, em cerca de 200m2, e com organização de Adelaide Ginga, irá ter lugar uma mostra coletiva de artistas portugueses emergentes.

 

Inteiramente dedicado à criação contemporânea, o Le Consulat conta ainda com 16 suites espaçosas no segundo e terceiro andar, decoradas em colaboração com as principais galerias de arte de Lisboa (Cristina Guerra, Filomena Soares, Graça Brandão, Carlos Carvalho, 3+1, Belo-Galsterer, Caroline Pagès e Pedro Cera). Não só os hóspedes poderão conviver com estas obras durante a sua estadia em Lisboa, como poderão depois adquiri-las e assim levar um bocadinho das suas férias para casa. Para mais informações visite www.leconsulat.pt

Artigo anterior

Quando os assuntos femininos chegam ao telemóvel

Próximo artigo

Pais estão mais atentos às meninas do que aos meninos