Home»VIDA»CARREIRA»Trabalhar em casa: vantagens e desafios

Trabalhar em casa: vantagens e desafios

São cada vez mais as pessoas que criam negócios próprios, geridos a partir de casa. O trabalho em casa pode parecer trazer apenas vantagens, mas conheça também os desafios.

Pinterest Google+
As razões que levam ao trabalho a partir de casa são variadas. Pode ocorrer um despedimento, surgir a vontade de criar um projeto próprio, ou a maternidade e o desejo de estar perto da família serem mais fortes do que a ambição profissional, ou simplesmente trabalhar numa área em que este é o método de trabalho convencional, como muitos projetos online.

 

Em qualquer dos casos, as vantagens e desafios desta situação são os mesmos.Vejamos o caso do Ana Maria Sousa, 31 anos, a viver em Lisboa. Há três anos, Ana decidiu que era tempo de deixar o seu emprego como editora numa produtora de televisão, abdicando “de um emprego estável para me dedicar a algo que realmente me realiza”, explica. “Quando percebi que não me sentia realizada parei um pouco e pensei: ‘O que queres realmente fazer? Do que gostas realmente?’ A minha resposta imediata foi: ‘Cães!’”

 

A esta decisão seguiu-se um curso de instrução canina e, a partir daí, Ana não parou de ler e estudar sobre o assunto. Aos poucos, o próximo passo foi-se formando na sua cabeça: “Percebi que havia um gap no mercado. Há muitos dogwalkers mas poucas casas como a TiTiNi, que funciona como um hotel mas com todas as comodidades de uma casa.” Ana encontrou assim o seu projeto pessoal: “O maior benefício que tirei disto é ser apaixonada pelo que faço e isso tranquiliza-me. Além disso, saber que os cães ficam bem entregues e que os donos ficam em paz é gratificante.”

 

Mas nem tudo são rosas no dia-a-dia desta trabalhadora independente, que acumula a TiTiNi com o trabalho de gestão de redes sociais. A falta de rotina veio trazer novos desafios: “A maior dificuldade de trabalhar em casa é a tentação de dormir até tarde. Mas eu não posso vacilar porque tenho os passeios para fazer, então estabeleço um horário para acordar cedo e organizo o meu dia em função do cão.”

 

Quanto à falta do ambiente de trabalho, Ana admite que, de vez em quando, sente “falta de sentar e conversar com um humano” a meio do dia. Mas, por outro lado, “os passeios são libertadores, divirto-me e rio-me com os cães. Nunca se está só se temos um cão.”

Artigo anterior

Sim mas...

Próximo artigo

Celebridades ‘transformadas’ para campanha contra a violência doméstica