Home»FOTOS»Tirar selfies duplica risco de contrair piolhos

Tirar selfies duplica risco de contrair piolhos

Dermatologista britânica alerta para o facto de as selfies em grupo potenciarem o contágio de piolhos, sobretudo entre os adolescentes que têm o hábito de se juntar para tirarem muitas fotos juntos.

Pinterest Google+

Apesar de afetar mais as crianças, o hábito de tirar selfies em grupo por parte dos adolescentes duplica o risco de esta faixa etária contrair piolhos, alerta a dermatologista britânica, Tess McPherson, à BBC.

 

Segundo a dermatologista, o risco de contágio «depende da intensidade de contacto capilar entre duas pessoas». Por isso, ao risco acrescido das crianças por contactarem mais fisicamente e aos cabelos longos que não estão presos junta-se agora um novo fator de risco: a selfie, sobretudo junto dos mais jovens que têm este hábito em grupo.

 

Estes insetos minúsculos que gostam de viver no couro cabeludo não conseguem viver muito tempo fora de uma cabeleira, explica a dermatologista. O piolho prende-se ao cabelo com as suas garras e põe ovos. Mas como não podem saltar ou voar, estes insetos precisam de contacto capilar para colonizarem novas vítimas.

 

VEJA TAMBÉM: GERAÇÃO SELFIE: ESTUDO IDENTIFICA IMPACTOS NEGATIVOS NO DESENVOLVIMENTO DOS ADOLESCENTES

 

McPherson recorda ainda que podemos infetar outras pessoas antes mesmo de sabermos que estamos infetados. «Não apresentamos os sintomas imediatamente porque sofremos uma reação alérgica ao piolho, motivo pelo qual leva algumas semanas para apresentar a primeira infestação», alerta.

 

Porém, apesar deste risco acrescido, por esta altura, a qualquer instante pode ser chamado para uma foto de amigos. E como a fotogenia não é universal, há um conjunto de regras que pode ajudar a passar no teste. Veja como tirar bem selfies na galeria acima.

Artigo anterior

O que não deve comer ao pequeno-almoço

Próximo artigo

Afinal, a pizza é saudável ou não?