Home»ATUALIDADE»ESPECIALISTAS»Tipos de aparelhos ortodônticos

Tipos de aparelhos ortodônticos

Atualmente existem variados tipos de aparelhos ortodônticos de forma a atender a todos os tipos de pacientes. Assim, usar aparelho já não é desagradável para quem não se sente à vontade com o convencional modelo metálico.

Pinterest Google+

Há cada vez mais pessoas a recorrer ao tratamento ortodôntico, que está longe de ser apenas um tratamento estético, incluindo pacientes adultos. Como os modelos mais recentes são confortáveis e muito estéticos, a aceitação do tratamento por pessoas acima dos 30 ou 40 anos tem vindo a aumentar.

 

Alguns dos tipos de aparelhos mais usuais são:

 

1) Aparelho fixo metálico

É o tipo mais comum de aparelho. É constituído pelos brackets (peças que se colam aos dentes), arcos e as ligaduras elásticas, que podem ser coloridas. Apresenta as vantagens de ser um aparelho mais acessível monetariamente e indicado para quase todos os tipos de tratamentos ortodônticos. As desvantagens são as feridas que pode causar e a dificuldade de higienização.

 

2) Aparelho fixo estético

Estes podem ser de policarbonato, porcelana ou safira e são constituídos por brackets transparentes, o que o torna menos perceptível. Dos três materiais acima descritos, os de safira são os mais discretos uma vez que são confecionados com uma porcelana monocristalina, assemelhando-se a sua aparência ao vidro. Logo, eles mimetizam facilmente a cor do dente de cada paciente. Apesar de serem mais caros que os metálicos, o custo-benefício pode valer a pena pela questão estética e pelo facto da sua higienização ser um pouco mais fácil.

 

3) Aparelho auto-ligável

Este aparelho pode ser metálico ou estético, sendo que a diferença para os anteriores é o facto de não necessitar de ligaduras elásticas coloridas. Também o tamanho dos seus brackets é mais pequeno e a mecânica do tratamento é diferente dos anteriores, permitindo um tratamento muito eficaz em menor período de tempo e com maior espaçamento entre consultas.

 

4) Aparelho lingual

Este aparelho é muito idêntico ao modelo fixo convencional (metálico), com brackets, arcos e ligaduras elásticas. A diferença é que ele é colado à face interna dos dentes, possibilitando que o tratamento seja feito sem que ninguém perceba que está a ser usado. No entanto, o seu custo é mais elevado, pode afetar a dicção do paciente e a escovagem requer alguns cuidados.

 

5) Alinhadores transparentes

São dos aparelhos mais recentes, confecionados com a ajuda de software específico, sendo completamente personalizados para cada paciente. Assim, eles encaixam perfeitamente nos dentes, o que os torna praticamente imperceptíveis. As outras vantagens são o facto de não necessitar de consultas de 4 em 4 semanas, podendo estas ser mais espaçadas e, por serem retirados durante as refeições e escovagem, não alteram a dieta e facilitam a higienização.

 

6) Aparelhos funcionais

Algumas maloclusões podem e devem ser tratadas numa fase precoce do crescimento quando a criança ainda não apresenta a dentição definitiva completa. Nestes casos poder-se-ão usar os aparelhos funcionais removíveis.

 

7) Aparelhos de contenção

Quando o paciente termina o tratamento ortodôntico com qualquer um dos tipos anteriores, aconselha-se sempre o uso dos aparelhos de contenção. Como o próprio nome indica, estes têm o objectivo de conter e manter os dentes na nova posição de forma a garantir  o sucesso duradouro dos resultados alcançados. Podem ser fixos ou removíveis e o tempo de uso será indicado pelo médico dentista que realizou o tratamento. Poderão ser usados 22 horas inicialmente e passar para um uso apenas noturno numa fase posterior.

 

Nem sempre é o paciente a decidir que aparelho irá usar. Cabe ao médico dentista aconselhar para cada caso específico qual o que melhor se adequa.

Artigo anterior

Morrem 11 portugueses por dia com cancro do intestino. Petição europeia pede rastreios para todos

Próximo artigo

Como fazer gel desinfetante em casa