Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Teste sanguíneo pode prever chegada da menopausa

Teste sanguíneo pode prever chegada da menopausa

Estudo descobriu que o nível da hormona anti-Mülleriano (AMH) consegue predizer o número de óvulos que restam a uma mulher e assim antever a altura da sua menopausa. Desta forma, sabendo com mais precisão quando a menopausa ocorrerá, as mulheres poderão tomar melhores decisões médicas, rematam os investigadores.

Pinterest Google+
PUB

Um exame ao sangue pode dar um indicador de quando uma mulher vai chegar à menopausa, de acordo com uma nova pesquisa realizada na da Faculdade de Medicina da Universidade do Colorado e publicada pela Sociedade Endócrina Americana.

 

O estudo descobriu que medir os níveis da hormona anti-Mülleriano (AMH) pode prever quando o período menstrual final da mulher ocorrerá. O AMH serve como um indicador de quantos óvulos resta a uma mulher, uma vez que estas nascem com um número limitado de óvulos, que vai diminuindo à medida que se aproximam da menopausa.

 

VEJA TAMBÉM: MENOPAUSA, UM TERÇO DA VIDA DA MULHER

 

«Estabelecer uma maneira de medir o tempo até ao período menstrual final tem sido o santo graal da pesquisa sobre menopausa», disse o coautor principal do artigo, Nanette Santoro. «Padrões de sangramento ou testes disponíveis anteriormente para prever o tempo até à menopausa podem apenas ajudar a reduzir a janela para um período de quatro anos, o que não é clinicamente útil. As mulheres podem tomar melhores decisões médicas com as informações mais completas oferecidas pelas novas e mais sensíveis medidas da hormona anti-Müllerianas», rematou o pesquisador.

 

Os pesquisadores analisaram exames de sangue realizados em 1.537 mulheres entre os 42 e os 63 anos. O estudo de longo prazo monitorizou as mudanças na saúde das mulheres durante a transição para a menopausa. Para este estudo, as amostras de sangue dos participantes foram testadas quanto aos níveis de AMH, bem como a hormônio folículo-estimulante, outra hormona reprodutiva.

 

VEJA TAMBÉM: SILVIA ROQUE: «HÁ MAIOR INCIDÊNCIA DE MIOMAS UTERINOS NA PERIMENOPAUSA»

 

Os pesquisadores usaram um teste mais sensível do que o que estava disponível anteriormente para medir os níveis de AMH das participantes. Esse processo tornou possível prever o período final da menstruação dentro de 12 a 24 meses em mulheres com 40 a 50 anos.

 

«Os pesquisadores pensam há muito tempo que a AMH seria um marcador superior do tempo para a menopausa, mas os testes não foram sensíveis o suficiente para detetar os níveis muito baixos que ocorrem no ano ou dois que antecedem a menopausa», disse o coautor Joel S. Finkelstein, do Hospital Geral de Massachusetts. «Foi preciso uma coorte como o Estudo da Saúde da Mulher na Nação (SWAN), que seguia as mesmas mulheres ano após ano, desde antes da menopausa até bem depois, para obter o tipo de dados necessário para poder demonstrar o valor preditivo da AMH».

 

 

 

Artigo anterior

Dia dos Namorados: destinos românticos na Europa

Próximo artigo

Quer avistar baleias? Veja este top 10 no mundo