Home»VIDA»CASA & FAMÍLIA»Tenho um animal doméstico, e agora? Veterinária explica o essencial

Tenho um animal doméstico, e agora? Veterinária explica o essencial

Devemos deixar o cão dormir em cima do sofá? Com que periodicidade lhe devemos dar banho? E quando morre um animal doméstico, o que devemos fazer? Com o Dia Mundial do Médico Veterinário assinalado a 28 de abril, a veterinária Carla Santos responde a estas e outras perguntas.

Pinterest Google+
PUB

Nas ausências diárias, deve-se deixar o cão com acesso livre à casa ou numa zona limitada?

Tudo depende do comportamento do animal. No caso de um cachorro, aconselho limitar o espaço para controlar os dejetos e evitar que destrua objetos.

 

É aconselhável ou não a convivência de animais de diferentes espécies?

O convívio entre animais de várias espécies pode ser saudável, contudo aconselho acompanhamento na fase inicial por parte dos donos.

 

VEJA TAMBÉM: O ANIMAL IDEAL PARA CADA SIGNO

 

Qual o número de passeios diários recomendáveis para o conforto de um cão?

No mínimo três.

 

Quantas visitas, no mínimo, um animal doméstico deve fazer anualmente ao veterinário?

Mais uma vez depende da espécie e idade do animal. No caso dos cães, em jovens devem cumprir um esquema de primovacinação, o que normalmente implica visitas mensais.  Em adulto, o animal deverá ser consultado uma a duas vezes por ano.

 

A alimentação específica é a mais recomendável? Porquê?

As rações comerciais são formuladas por nutricionistas veterinários,  sendo por isso equilibradas e respeitam as várias fases da vida do animal. São mais adequadas que a comida caseira.

 

VEJA TAMBÉM: VAI DE FÉRIAS COM UM ANIMAL DE ESTIMAÇÃO? PREPARE-SE ANTES

 

Animais e crianças: há cuidados especiais na sua convivência?

É importante que o animal seja acompanhado por um veterinário para prevenir possíveis zoonoses, por exemplo, patologias parasitárias.  Nos primeiros tempos de contacto entre ambos, também aconselho acompanhamento por um adulto de forma a controlar possíveis comportamentos inadequados por parte do animal ou da criança e fomentar assim o início de uma boa relação.

 

Quando morre um animal de estimação, qual o procedimento mais correto para o enterrar?

É proibida a colocação de cadáveres de animais nos equipamentos de deposição de resíduos e na via ou lugares públicos. O animal poderá ser entregue para incineração nas câmaras municipais, no  caso de cadáveres provenientes de CAMV (s), seguir para incineração, ou o dono poderá solicitar serviço a uma agencia funerária animal.

 

 

Artigo anterior

Estudo: vírus zika eliminou tumor cerebral em ratos

Próximo artigo

Depilação com luz pulsada: DECO testou aparelhos domésticos e deixa conselhos