Home»BEM-ESTAR»COMPORTAMENTO»Tenho medo porque…tenho medo!

Tenho medo porque…tenho medo!

Pinterest Google+
PUB

Será útil?
Ao longo do tempo que tenho feito Coaching, uma das emoções que surgem com mais frequência é o medo e a principal objeção em libertar o medo é a proteção, pois aparentemente há um mecanismo cerebral que nos leva a pensar que reter medo dentro de nós nos protege no futuro. Por exemplo, se eu continuar a ter medo dentro de mim, vou evitar passear em zonas perigosas ou mesmo numa savana africana, porque se aparecer um ladrão ou um animal selvagem, eu fujo, por isso, é bom preservar o medo.

 
A maior parte do medo que temos dentro de nós não é natural nem autocriado. É sim instalado em nós de diferentes formas. Quando somos pequenos, dizem-nos que se não comermos a sopa vamos para um quarto escuro, ou alguém chama “o velho mau” ou o “cão”. Ou seja, estes medos são instalados em nós e provêm de fontes externas. Quase todos já observámos uma criança pequena a brincar e foi fácil constatar que ela é, na maior parte dos casos, desprovida de medos. São os adultos, claro que com as melhores intenções, que instalam esses medos, porque também lhos instalaram no passado.

 
Resumindo, quando chegamos à idade adulta, temos tantos medos acumulados que acabamos por não atingir o nosso potencial, porque temos…medo. E na idade adulta o medo é ainda mais consolidado. Basta ver telejornais. Medo do crime, medo do terrorismo, medo da instabilidade económica, etc.

 
As fobias são outro bom exemplo de programação e medos instalados. Quando somos pequenos observamos a reação dos adultos a bichos como ratos, aranhas, baratas e até cães. Se uma criança vê a sua mãe aos gritos porque viu uma barata na cozinha, o que acham que é provável que a criança venha a fazer quando crescer? Vários terapeutas americanos referem que depois de 1975, após a estreia do filme “Tubarão” os casos de pessoas com fobia de tubarões disparou. É bem possível.

 
Outra fobia curiosa é a de cobras. Tenho conhecido bastantes pessoas com fobia de cobras. Ora a cobra não é propriamente um animal com que nos cruzamos todos os dias. A maior parte de nós só vê uma cobra ao vivo quando vai ao Jardim Zoológico. Então de onde vem esta fobia? Não tenho dados oficiais, mas o simbolismo da cobra na religião católica parece-me ser uma justificação plausível. Já reparou que na Ásia é raro haver fobia de cobras e que em muitos países elas são animais de estimação?

 
Por último, outra forma de medo bastante frequente: a ansiedade. A ansiedade é o medo de algo que ainda não aconteceu, é o medo do futuro. Se ainda não aconteceu, porquê ter medo?

 
É inútil, tal como os outros medos, pois entre outras coisas produz preocupação, aumenta o problema e retira-nos foco e discernimento para agirmos. Dito isto, é útil então guardarmos medo dentro de nós com o pretexto da proteção?  Não. Não, porque todos temos no nosso cérebro um mecanismo chamado “Reação de Luta ou Fuga”, que faz com que o nosso corpo reaja de imediato em situações que possam colocar em causa a nossa integridade física.

 
Emoções negativas como o medo podem ser eliminadas com alguma facilidade e rapidez, então talvez agora seja uma boa altura para decidir ver-se livre daquilo que não lhe serve.
Atreva-se!

Artigo anterior

Saint West é o nome escolhido para o filho de Kim Kardashian e Kanye West

Próximo artigo

Rihanna vai apresentar a sua coleção da Puma na semana da moda em Nova Iorque