Home»ATUALIDADE»ESPECIALISTAS»Tendências de Marketing 2023

Tendências de Marketing 2023

Mais uma projeção do que aí vem! Chega aquela altura do ano em que nos vemos obrigados a parar para pensar e preparar o novo ano que se avizinha. Nunca é um exercício fácil, mas 2023 traz desafios ainda maiores pelos cenários de incertezas geopolíticas e económicas que se esperam.

Pinterest Google+
PUB

É natural que nem todas as tendências se apliquem a todos os setores, mas, mais coisa menos coisa, os relatórios e projeções que já podemos ler podem ajudar-nos a traçar um caminho.

 

Olhar para as tendências é mais do que um exercício de planeamento daquilo que o consumidor deseja. É um exercício de preparação e antecipação para eventuais necessidades de mudança. Este é um quadro a que nos habituamos, sobretudo nos últimos 3 anos, a ter em cima da mesa para conseguir responder de forma ágil às alterações que se observam no mundo.

 

Para além daquelas que serão as principais Tendências de Marketing a que os marketers devem estar atentos, qualquer estratégia de marketing que tenha como foco “o cliente em primeiro lugar” será vencedor pois estará concentrada em criar experiências únicas e em orientar as decisões face a novas realidades e necessidades, que permitirão desenvolver um plano tranquilo e, quase de certeza, de sucesso.

 

VEJA TAMBÉM: MARKETING SENSORIAL: O PODER DOS SENTIDOS NO MARKETING

 

Mais do que nunca, num cenário de incerteza como aquele em que nos encontramos, o desafio é reter o consumidor, oferecendo experiências únicas para que ele procure a marca, o produto ou o serviço e, mais que isso, seja um promotor dela.

 

Então, como nos podemos preparar para 2023? Para ajudar neste desafio, podemos olhar as Tendências de Marketing para 2023. Partilho aquelas que me pareceram mais genéricas e que poderão ser aplicadas a quase todos os setores:

 

People to People ou Marketing de influência

A ideia passa por contruir, fortalecer e estabelecer um relacionamento de longo prazo com a comunidade da marca. Para isso sugere-se um investimento em microinfluenciadores. Já se percebeu que os consumidores confiam nos influenciadores como porta-vozes das marcas. Eles impactam positivamente as decisões de compra dos consumidores porque são vistos como pessoas “comuns” (e não celebridades) aportando autenticidade à publicidade.

 

Outra forma interessante de gerar mais interação com as marcas é através do “conteúdo gerado pelo consumidor”. É a chamada economia do criador em que as marcas aproveitam as opiniões e recomendações dos consumidores para criar confiança e reputação no seu target.

 

As marcas devem procurar influenciadores que representem os seus produtos ou serviços perante os consumidores personificando a marca, os seus conteúdos e os seus valores.

 

Podcasting

Os podcasts ajudam as marcas criar conteúdo original e envolvente, a desenvolver experiências e ligações mais próximas com o consumidor, permitindo-lhes alcançar um público altamente comprometido com a marca.

 

Prevê-se que o podcasting continue a crescer em 2023 como ferramenta de marketing para marcas de todos os tamanhos e setores e pode ajudá-las a ganhar vantagem competitiva no seu mercado.

 

Propósito e Comunicação

As marcas devem ter um propósito, acrescentar valor para o mundo (ou pelo menos para a comunidade onde estão inseridas) e promover impactos positivos na sociedade. Esta não é uma tendência nova, mas, mais do que nunca é obrigatório que as marcas sejam transparentes na sua comunicação e escolham adequadamente as causas que defendem.

 

Os consumidores procuram marcas que comuniquem um propósito claro e sejam coerentes em tudo o que fazem – postura transversal das marcas e organizações, ou sejam na forma como vivem e tornam visível esse propósito. Os valores das marcas não podem, em situação alguma, ser questionados.

 

Temas como “employer branding”, “ESG (Environmental, Social, and Governance)”, “igualdade e inclusão”, “violência doméstica”, “doenças mentais”, “pobreza e exclusão social”, entre outros, devem ser comunicados e implementados na cultura e prática da organização para que sejam reconhecidos pelos consumidores como verdadeiros e transparentes. Hoje o consumidor não perdoa as marcas que fazem promessas falaciosas, exageradas ou que não são cumpridas. Veja-se os casos de ‘green washing’ a que temos assistido e o poder da opinião pública

Metaverso e novos negócios

O metaverso já não é “A novidade” mas continua a crescer exponencialmente, de tal forma que as oportunidades para as marcas são várias. Temos visto vários artistas a entrar no metaverso e até a fazer negócios exclusivos neste universo.

 

O metaverso permite às marcas explorar e inovar, contudo pode ser de difícil implementação obrigando a investimentos extraordinários. Ainda está numa fase inicial pelo que se espera que continue a evoluir e a ser de mais fácil adoção pelas marcas.

 

A certeza é de que, para já, é uma tendência que veio para ficar pelo que é crucial que as marcas encontrem forma de entrar neste universo para não perderem a oportunidade de gerar valor.

 

Marketing omnicanal

O ‘marketing omnicanal’ é uma estratégia holística que cria uma experiência integrada do consumidor em todos os canais e pontos de contato. Permite que as marcas a construam relacionamentos mais fortes com os seus consumidores e a gerem mais vendas ao envolvê-los através de vários canais, desde as redes sociais até as interações na loja. Hoje sabe-se que é fundamental trabalhar as relações da marca no meio físico e virtual.

 

A jornada do cliente não termina no site ou loja online de uma marca. É importante que as marcas tenham uma estratégia bem definida de comércio eletrónico não descurando a experiência online como forma de diferenciação. A maioria dos consumidores alterna entre vários dispositivos, portanto, uma experiência consistente e unificada em todos os pontos de contato é fundamental:

– A mesma informação em todas as plataformas (e atualizada)

– Boa experiência do usuário no site e integridade do site

– Priorizar as técnicas de SEO para gerar bons resultados

– Personalização da comunicação (data driven marketing — gestão baseada em dados)

 

Existem muitas outras tendências a que todos os marketers devem estar atentos, contudo estas cinco Tendências de Marketing para 2023 podem ser a base para uma boa estratégia da marca no próximo ano. Fiquem atentos!

Vemo-nos em 2023?

Feliz Ano Novo.

 

Artigo anterior

Diagnóstico precoce do cancro da mama

Próximo artigo

Resoluções saudáveis para 2023