Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Tasquinhas de Rio Maior regressam hoje com iguarias tradicionais

Tasquinhas de Rio Maior regressam hoje com iguarias tradicionais

Durante dez dias, a cidade ribatejana homenageia a gastronomia, doçaria e artesanato típicos da região. O maior evento anual de Rio Maior volta com propostas para degustar enchidos, queijos, pães e pratos típicos desta zona do país, como a lapardana de bacalhau ou o galo com nozes. Arranca hoje.

Pinterest Google+
PUB

As tasquinhas de Rio Maior estão de volta para a sua 35ª edição, de 6 a 15 de março, para um regresso às tradições regionais nas áreas da gastronomia, artesanato e doçaria.

 

Aquele que é o maior evento da cidade ribatejana, recebendo milhares de visitantes nestes dez dias, promove o reencontro com o passado, segundo explica o município em comunicado: «Um reencontro que nos refresca a memória e nos lembra que afinal as pizzas e os hamburgers não nasceram neste pedacinho de Europa à beira-mar plantado.  Porque a gastronomia reflete os modos de vida e a economia dos povos, aqui estão representadas as 14 freguesias do concelho (através de coletividades), cada uma igual a si própria. Recriaram-se espaços, pratos e saberes guardados nas memórias das avós».

 

VEJA TAMBÉM: ‘FESTIVAL QUEIJO, PÃO E VINHO’ ESTÁ DE VOLTA

 

Nesta feita, o papel das 14 coletividades e dos voluntários que a este certame se dedicam são fundamentais para manter a sua autenticidade. «Atenta à preservação das tradições do concelho, a organização da Feira tem procurado que a mostra gastronómica se paute pela presença dos pratos mais característicos e típicos e, desta forma, algumas das receitas regionais, muitas delas de raiz secular, que corriam risco de desaparecimento ou desvirtuamento, têm sido recuperadas e reabilitadas», explica o município.

 

A gastronomia em Rio Maior é tipicamente mediterrânica. A influência dos alentejanos que por cá passaram está bem presente. O azeite, o pão e o vinho são obrigatórios. A broa de milho também está sempre presente, em pratos como as migas ou o mangusto. No passado os enchidos e a carne de porco eram abundantes nas casas das gentes abastadas e quem tinha menos possibilidades económicas recorria ao bacalhau, que naquele tempo era um produto muito barato.

 

VEJA TAMBÉM: ALGARVE TRADE EXPERIENCE APRESENTA TENDÊNCIAS EM MIXOLOGIA

 

A lapardana é um dos pratos regionais mais típicos. Temperam-se pão e batatas cozidas, com azeite e alho, e acompanha-se com bacalhau assado ou carne de porco frita.  Os queijinhos de sal têm este nome devido ao seu formato. O sal é moldado com sinchos e depois cozido em forno de lenha. Conservam-se por muito tempo e podem ser utilizados como tempero. Basta para tal, raspá-los com uma faca. O galo com nozes é marinado com sal, pimenta, alho esmagado e azeite. Depois juntam-se-lhe as nozes, cobre-se com água e vai ao forno.

 

«Sendo uma mostra gastronómica, a Feira das Tasquinhas distingue-se de todos os outros festivais de gastronomia que ocorrem um pouco por todo o país. Na realidade, o acontecimento é sobretudo uma festa comunitária, um espaço e um tempo de convívio que se apresenta como elemento de sedimentação das sociabilidades regionais e, simultaneamente, fator de desenvolvimento do potencial económico da região», finaliza o município.

 

 

 

Artigo anterior

Dicas para decorar uma estante

Próximo artigo

Algarve Trade Experience apresenta tendências em mixologia