Home»VIDA»CASA & FAMÍLIA»Tapetes de cortiça: uma inovação portuguesa com certeza

Tapetes de cortiça: uma inovação portuguesa com certeza

A cortiça é um dos maiores recursos que Portugal tem. E hoje já é usada em muitas coisas para além dos produtos ditos tradicionais, como rolhas ou pavimentos. Agora chega ao mercado uma nova proposta: os Sugo Cork Rugs, tapetes ecológicos, de cortiça e anti-alérgicos.

Pinterest Google+

A SUGO CORK RUGS chega agora ao mercado e assume-se como a primeira coleção de tapetes de cortiça concebida segundo métodos tradicionais de tecelagem. Diferencia-se pela conjugação inédita das suas matérias-primas, mas não só: estes tapetes podem ser utilizados nas duas faces e apresentam propriedades térmicas e acústicas. Além disso, garantem ser de fácil manutenção e podem ser personalizados, oferecendo uma forte multiplicidade de padrões, cores e texturas e combinação de desenhos e matérias-primas.

 

Quando Susana Godinho, formada em Design Têxtil, recebeu a primeira chamada da Amorim Cork, a maior empresa mundial de rolhas e produtos de cortiça, encontrou a oportunidade ideal para colocar em prática um projeto há algum tempo fechado na gaveta por contratempos da vida.

 

Veja também: Plantas para ambientes internos

 

«Na génese da conceção do novo tapete esteve sempre a vontade de inovar na utilização de matérias-primas e de utilizar materiais ecológicos», conta Susana Godinho. «Neste sentido, fizemos um conjunto de experiências tanto ao nível dos materiais como das técnicas utilizadas. Para conseguir o melhor resultado, tanto a nível da qualidade do produto final como a nível estético, utilizamos a cortiça como matéria-prima diferenciadora, conjugada com lã nacional e com algodão recuperado de grandes produções industriais».

 

A tecelagem tradicional tem um papel importantíssimo neste projeto, uma vez que permite oferecer uma coleção versátil, com infinitas possibilidades em termos de visuais, através da conjugação em tear destas matérias-primas, todas elas com respostas diferentes para o mesmo tipo de ponto.

 

Veja também: Dicas de decoração para 2017

 

A primeira coleção SUGO CORK RUGS parte de uma interpretação das tendências emergentes, elucidam as empreendedoras do projeto, Susana Godinho e Sónia Andrade. «A nossa visão para a primeira coleção SUGO CORK RUGS parte de uma análise inicial aos mercados e resultou numa coleção versátil, desde a criação de um tapete mais simples e tradicional para o cliente mais conservador, ao tapete mais arrojado para o cliente que procura algo único», partilham.

 

Durante o processo de desenvolvimento da coleção foram promovidas diversas melhorias relativamente ao protótipo inicial através de testes de performance e de durabilidade, que permitiram lançar esta coleção, dando origem a infinitas possibilidades em termos de visuais privilegiando sempre o ecodesign, uma característica crucial da marca.

 

Veja também: Faça da sua casa o seu escritório

Os tapetes, do ponto vista estético, são altamente personalizáveis devido à facilidade de conjugação com outros materiais, como cortiça, lã e algodão. Por acréscimo, a cortiça, para além das questões de sustentabilidade, apresenta uma performance técnica muito interessante neste tipo de produto: o isolamento, propriedades que minimizam o risco de alergias.

 

«Existe alguma resistência por parte de uma fatia do mercado em colocar tapetes nas habitações devido ao risco de alergias. O facto deste tapete ter incorporado a cortiça, o risco de alergias é diminuído, na medida em que esta matéria prima, que  já é amplamente utilizada nas casas, tem sido testada ao longo dos anos, com resultados muito favoráveis em relação a esta questão, comparativamente com outros tipos de materiais», explica a dupla. Veja agora na galeria algumas imagens destes tapetes.

Artigo anterior

Como manter a fruta e os legumes biológicos frescos por mais tempo

Próximo artigo

Namorado ou namorada, para que te quero?