Isabel Guimarães – astrologia

Astróloga, presidente da Associação Portuguesa de Astrologia e diretora da FacesIsabelGuimarães. Autora dos livros ‘AC – Acreditar ou Conhecer a Astrologia’, 'Guia de Interpretação Astrológica em 22 passos' e 'Como Fazer Previsões Astrológicas'. Escreve quinzenalmente à segunda-feira.
Perdão não é submissão

Sonâncias, dissonâncias e tendências genéricas. A faixa zodiacal é composta pelos doze signos numa circunferência de 360 graus = 24 horas. Ao longo desta faixa, os signos fazem as suas oposições num angulo de 180º, e considero ser esta a primeira abordagem de compatibilidade de signos. Por Isabel Guimarães.
Plutão: o transformador da vida

É o mais longínquo e misterioso planeta do sistema solar. A relação da sua gigantesca distância ao Sol com o seu ínfimo tamanho induz a perceção da existência de uma poderosa força gravitacional de atração que mantém sua órbita atrelada ao Sol. Deriva daí a sua relação com o modo como lidamos com o nosso poder pessoal. Por Isabel Guimarães.
Neptuno: inspiração e vida

O glifo retrata o tridente do Pai Neptuno, sendo composto pelo semicírculo da alma, penetrado pela cruz da matéria, daí resultando o garfo de três dentes. Os dentes representam o corpo físico e os cinco sentidos do corpo astral ou emocional e seus desejos, a esfera mental inferior e seus pensamentos egocêntricos. Por Isabel Guimarães.
Úrano: incitador de vida

Após ultrapassarmos a órbita de Saturno, chegamos aos três planetas da "oitava superior". Em poucas palavras, dizemos que a energia contida nas vibrações de Úrano, Neptuno e Plutão representa aquelas formas cósmicas que afetam a Humanidade como um todo, em sentido geral, e que não se manifestam, necessariamente, num sentido pessoal, nas vidas de cada indivíduo. Por Isabel Guimarães.
Saturno: limitações da vida

O glifo de Saturno compõe-se dos mesmos dois elementos de Júpiter, porém as duas partes do símbolo são invertidas. Assim, pode ver-se que é através das lições de Saturno que o Homem aprende como harmonizar a sua imaginação (o semicírculo) com as circunstâncias imediatas de sua vida (a cruz). Por Isabel Guimarães.
Júpiter: a sabedoria da vida

O glifo do planeta gigante é composto pelo semicírculo da Lua (= alma) erguendo-se acima da cruz da matéria. Júpiter representa o estágio no desenvolvimento do Homem em que a alma triunfou sobre as suas experiências na Terra (a cruz), tendo obtido, através dessas experiências, a sabedoria que confere a perceção da Lei Universal, aplicada à vida terrestre. Por...
Marte: projetor de vida

O glifo para Marte representa a polaridade do símbolo de Vénus. O símbolo mais antigo revela a cruz da matéria colocada sobre o círculo do Espírito, mostrando a tendência dos desejos da carne para dominarem aspirações mais elevadas. Assim, as necessidades do indivíduo tornam-se mais importantes do que as da Humanidade. Por Isabel Guimarães.
Vénus: a beleza da vida

As suas vibrações funcionam inteiramente através dos sentimentos. Neste sentido, Vénus é a encarnação do amor, dos sentimentos e do desejo de união. Por Isabel Guimarães.
Mercúrio: comunicador de vida

O símbolo de Mercúrio representa a força da inteligência ativa. O círculo simboliza a fonte de energia que dá vida à mente. Por Isabel Guimarães.
Lua, sustentáculo da vida

Enquanto que o sol representa a energia criativa infinita, disponível para um indivíduo, a função da lua é dar uma forma a essa energia e tornar o potencial uma realidade. Por Isabel Guimarães.