Ana Luísa Pinho – Consumo

Responsável de Marketing. Escreve quinzenalmente à quinta-feira.

Nos últimos anos a sustentabilidade tomou conta das estratégias das empresas e da gestão de marcas. Ser uma marca mais sustentável é imperativo. Por Ana Pinho.

Ainda que o consumidor tenha convergido das lojas físicas para o digital, o português é um consumidor de sorrisos, de conversas, de hábitos e de tato. Por Ana Luísa Pinho.

Os pais, tios, avós, e primos não gostam de se sentir manipulados pelos “mini-ditadores” que habitam nas suas casas, mas a verdade é que, tal como as marcas, os pais sabem o poder de persuasão que as crianças têm.

Será que as marcas têm real noção do poder da presença nos grupos de mães do Facebook ou do WhatsApp? Para quem não conhece, estes grupos dão às marcas mais informações que qualquer estudo de mercado que possam encomendar.

Os últimos meses têm sido ricos em profecias de mudanças dramáticas. Mudanças no comportamento das famílias, na forma de consumo, na definição de prioridades, na valorização dos produtos, ou mesmo do dinheiro, nos critérios de escolha de uma marca, loja ou produto.

«Quando escrita em chinês, a palavra ‘crise’ é composta por dois caracteres: um representa perigo e o outro representa oportunidade», John F. Kennedy.