Ana Luísa Pinho – Consumo

Responsável de Marketing. Escreve quinzenalmente à quinta-feira.

Esta é aquela altura do ano que nem é carne nem é peixe. Nem o verão foi embora, nem o inverno chegou. O ano ainda não acabou, mas já hipotecamos reuniões para 2022. Por Ana Luísa Pinho.
noiva

As noivas modernas planeiam todo o seu casamento online procurando inspiração no Pinterest e no Instagram. Os noivos recorrem a aplicações que lhes vão dizendo, de acordo com a data do grande dia, o que têm de fazer a cada passo.
Mulher a fazer compras

Estado de espírito, prazer, bem-estar, necessidade de afirmação, ligação entre produtos e incentivos podem conduzir à compra por impulso. Como criar uma estratégia de marketing eficaz para o comprador por impulso? Por Ana Luísa Pinho.
material escolar

Os miúdos ainda correm nos campos de férias, o material que veio da escola permanece dentro do saco por arrumar, ainda nem demos conta de que o ano escolar terminou e já estamos a receber listas de manuais e material escolar para o ano que vem. Por Ana Luísa Pinho

«Ah, e tal, julho e agosto são meses calmos. Dá para fazer o balanço do primeiro semestre, arrumar a casa e preparar a segunda metade do ano para garantir que se cumprem todos os KPI’s.» Por Ana Luísa Pinho.
cassete e disco

O marketing e as marcas são feitas por e para pessoas e, por isso, estes sentimentos bons que transportamos nas gavetas da memória são preciosas ferramentas de envolvimento e de atração para as marcas. Por Ana Luísa Pinho.
jovem e televisão antiga

Eu faço parte daquela geração que viu a trilogia dos filmes do “Regresso ao futuro” e achou que tudo aquilo seria, para sempre, ficção. 36 anos depois (😮 como assim 36?) muitas das coisas que vimos o Marty McFly fazer são já uma realidade. Por Ana Luísa Pinho.

A pandemia de COVID-19 impactou todos os aspetos da nossa vida, até na maneira como nos vestimos. Andámos 14 meses a usufruir da nova moda de homewear, confortável e prática, de chinelos ou descalços, porque todos sabemos que desde março de 2020 o sapato não entra em casa para evitar também que o vírus entre. O nosso guarda-roupa e...

O défice na natalidade não pode ser apenas atribuído à crise pandémica, apesar de ter sido agravada por ela. É uma tendência que se tem vindo a observar nos últimos anos. Há marcas que pretendam entrar nesta jornada de promoção da natalidade e desenvolvem produtos ou serviços que tornam a parentalidade mais fácil. Por Ana Luísa Pinho.

Ao longo destes meses fomos mantendo as relações profissionais via Zoom e a proximidade com a nossa família e amigos mais íntimos nas videochamadas. O que não fomos capazes de manter foram aquelas relações resultantes de encontros casuais na copa do escritório, na passadeira do ginásio, no café de manhã ou com aqueles colegas, que não sendo amigos íntimos,...