Home»ATUALIDADE»ENTREVISTAS»Susana Bettencourt: «A minha imaginação é muito livre e sem preconceitos»

Susana Bettencourt: «A minha imaginação é muito livre e sem preconceitos»

Entre 156 candidatos de 19 países do Mediterrâneo, a marca Susana Bettencourt foi uma das 20 vencedoras da 7ª edição do prémio OPENMYMED 2017, uma iniciativa da Maison Méditerranéenne des Métiers de la Mode que tem como missão descobrir novos criadores e dar apoio nas três grandes expectativas de qualquer nova marca: a sua plataforma, comunicação e comercialização.

Pinterest Google+
PUB

 

A perceção do mundo da moda tem sofrido mutações?

Devido ao rápido crescimento da moda, a nova geração tem atualmente uma perceção de valor completamente diferente. O cliente final está cada vez mais consciente dos mark ups/lucros que a marca faz nas peças e dos seus custos. Acredito cada vez mais que vamos ter problemas crescentes com o multimarcas e a estratégia de wholesale. Penso que o futuro passa por atingir o cliente final de forma mais direta com loja online e lojas próprias.

 

Um criativo não vive sem inspiração. Onde encontra a sua?

Adoro e inspiro-me tanto em street art como em arte exposta em museus. A minha imaginação é realmente muito livre e sem preconceitos, posso criar um conceito ou uma ideia observando um chão de rua ou um palácio. Gosto de explorar as formas recortadas e orgânicas fáceis de vestir contrastando com blocos de cor arrojados e texturas. As peças têm uma estética e grafismo que se consegue identificar mesmo fora do seu contexto e é justamente esse o objetivo: ter uma identidade e imagem única.

 

Veja também: Formas originais de usar lenços lenços de seda

 

Em cada coleção tenta explorar caminhos diferentes?

Coleção após coleção, tento continuar os ciclos, experimentando sem restrições. Tento manter e explorar as habilidades de malharia (pela qual fui distinguida) ao cruzar, interceptar e fundir a linha entre tecnologia e artesanato, em peças de malha feitas à mão e que espelham as nossas perspetivas, visões e processo de investigação e compreensão. Mesmo pensando na estratégia para a marca, não iremos abandonar a vertente experimental inerente ao design, a pesquisa e a luta das malhas – é isso que nos dá força e a teimosia para continuar!

 

Planos para o futuro?

Comercialmente falando será melhorar a nossa loja online, as nossas redes sociais e conseguir comunicar a nossa marca como uma equipa dedicada e que trabalha a especialidade como não há outra. Mas, acima de tudo, arranjar os parceiros de vendas corretos, para conseguir os canais, lojas e clientes necessários para nos fazer manter o nosso sonho. A nível de objetivos de imprensa e comunicação, gostaria de conseguir uma apresentação na Semana da Moda de Londres Oficial. Exposição já temos, agora ambiciono conseguir o nível seguinte.

 

 

Artigo anterior

Leite de ovelha pode ser o próximo alimento funcional

Próximo artigo

Trivago elege os melhores hotéis de Portugal em 2017