Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Suicídio: uma pessoa morre a cada 40 segundos

Suicídio: uma pessoa morre a cada 40 segundos

O suicídio é a quarta principal causa de morte entre os jovens dos 15 aos 29 anos e é mais comum em homens do que em mulheres nos países desenvolvidos. Dados da Organização Mundial de Saúde, que ressaltam que é preciso incorporar estratégias de combate ao suicido nos sistemas nacionais de saúde e educação. Hoje é Dia Mundial de Prevenção do Suicídio.

Pinterest Google+
PUB

A cada 40 segundos suicida-se uma pessoa, segundo dados da Organização Mundial de Saúde divulgados neste que é o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio. Isto significa mais de 700 mil pessoas por ano a tirar a própria vida. Os métodos mais comuns de suicídio são enforcamento, envenenamento por pesticidas e armas de fogo.

 

A taxa global de suicídio é de 10,5 por 100.000. Mas as taxas variaram amplamente entre países, nomeadamente de 5 mortes por suicídio por 100.000 a mais de 30 por 100.000. Porém, 79% dos dos suicídios no mundo ocorrem em países com rendimentos baixos e médios.

 

Os dados indicam também que morrem quase três vezes mais homens do que mulheres por suicídio em países de rendimento elevado, em contraste com os outros países onde a taxa é mais semelhante entre géneros. O suicídio é ainda a quarta principal causa de morte entre jovens dos 15 a 29 anos.

 

O número de países com estratégias nacionais de prevenção ao suicídio aumentou nos cinco anos desde a publicação do primeiro relatório global da OMS sobre suicídio, afirma a Organização Mundial da Saúde. Mas o número total de países com estratégias ainda é muito baixo.

 

O registo e a monitorização regular do suicídio a nível nacional são a base de estratégias nacionais eficazes de prevenção do suicídio. No entanto, apenas 80 dos 183 Estados Membros da OMS possuem registos de boa qualidade.

 

Embora a ligação entre suicídio e transtornos mentais (em particular, depressão e transtornos por uso de álcool) esteja bem estabelecida, muitos suicídios acontecem impulsivamente em momentos de crise.

 

Outros fatores de risco incluem experiência de perda, solidão, discriminação, rompimento de relacionamento, problemas financeiros, dor crónica e doença, violência, abuso e conflito ou outras emergências humanitárias. O fator de risco mais forte para o suicídio é uma tentativa anterior de suicídio.

 

VEJA TAMBÉM: 

COMO AJUDAR ALGUÉM COM PENSAMENTOS SUICIDAS?

 PSICÓLOGA ALERTA: OS PRIMEIROS SINAIS DE DEPRESSÃO

Artigo anterior

Alimentos que ajudam a combater as insónias

Próximo artigo

Os nutrientes essenciais para a beleza e a saúde da pele