Home»FOTOS»Substituições inteligentes que emagrecem

Substituições inteligentes que emagrecem

Nem todas as pessoas estão dispostas a abrir mão dos prazeres da mesa em nome de uma alimentação saudável. Mas quem disse que a mudança dos hábitos alimentares precisa de ser drástica? De seguida apresentam-se algumas substituições alimentares que ajudam a emagrecer se forem aplicadas no dia-a-dia. E mais resultados vão ver aquelas pessoas que estão a seguir um plano alimentar de emagrecimento.

Pinterest Google+

Não existe uma diferença significativa entre as calorias do pão comum (branco) e do pão de mistura ou integral. No entanto, é importante referir que as variedades de mistura e integrais apresentam maior quantidade de fibras do que o pão branco. A riqueza em fibras ajuda no bom funcionamento do intestino e provocam uma sensação de saciedade por mais tempo.

 

Opte pelo consumo de leite desnatado e de queijos magros (preferencialmente brancos). Todos os lacticínios são excelentes fontes de cálcio. O que difere é que as versões gordas do leite e os queijos com uma coloração mais amarelada são ricos em gorduras, logo em calorias.

 

VEJA TAMBÉM: STRESS E ANSIEDADE: COMO NÃO FAZER AS ESCOLHAS ALIMENTARES ERRADAS

 

Iogurtes magros ou probióticos são sempre uma mais valia para o organismo ao invés daqueles iogurtes cremosos, ricos em natas e leite gordo, ou ainda aqueles que contêm muito açúcar, calorias e poucos nutrientes. Nota: os probióticos são aqueles microrganismos vivos que, ao serem fornecidos como suplemento da alimentação, afetam de forma benéfica o crescimento da flora bacteriana do intestino, desta forma, beneficiam a saúde e equilibram a flora intestinal.

 

Bolachas e biscoitos integrais: com esta substituição, a pessoa substitui a farinha refinada pela integral, ingere menos açúcar, menos gordura e mais fibras quando comparados com os mesmos alimentos nas suas versões originais, recheadas e amanteigadas, por exemplo.

 

VEJA TAMBÉM: BEBER 8 COPOS DE ÁGUA DIARIAMENTE: FACTO OU FICÇÃO?

 

Legumes e vegetais devem ser consumidos ao natural, ou seja, sem tratamentos industriais, por exemplo estes mesmos alimentos, mas enlatados. Os primeiros são mais saborosos e apresentam menos sódio, uma boa alternativa para quem tem uma pressão arterial elevada. Já os segundos podem conter na sua composição corantes e conservantes.

 

Dependendo das quantidades que se come, os alimentos que são ricos em cereais (farináceos) podem levar ao aumento do peso, razão pela qual quando uma pessoa está a fazer dieta a primeira coisa que faz é eliminar os farináceos das refeições. A verdade é que atualmente a maioria destes alimentos é feita exclusivamente com farinha refinada, que não contém fibras e aumenta rapidamente a glicemia (quantidade de açúcar no sangue), fazendo com que a pessoa sinta fome de novo e mais rapidamente. A sugestão é escolher as versões integrais, sem açúcar. Ou simplesmente opte por consumir aveia, que é um cereal muito nutritivo, pouco calórico, de baixo índice glicémico e funcional (previne a obesidade, a diabetes, as doenças cardiovasculares e reduz o colesterol sanguíneo).

Artigo anterior

Portugal volta a subir no ranking da felicidade

Próximo artigo

Saúde oral: cuidados diários segundo os médicos dentistas