Home»ATUALIDADE»EDITORIAL»Somos realmente o que comemos

Somos realmente o que comemos

Pinterest Google+

A área da nutrição é uma das principais abordadas na Mood. Não só porque ‘somos aquilo que comemos’, mas porque também existe cada vez mais interesse e conhecimento sobre o assunto. Interesse por parte do leitor e conhecimento que é divulgado por quem estuda estas matérias. E muito é estudado.

 

Importa divulgar novas descobertas, benefícios de determinados alimentos, esclarecer sobre temas relacionados com aquilo que comemos. Até porque, por vezes, podemos pensar que estamos a fazer uma alimentação saudável e estarmos na realidade a cometer alguns deslizes que se podem revelar obstáculos àquilo que pretendemos.

 

Uma das áreas que mais me tem interessado ultimamente é a da alimentação biológica. Cá por casa, estamos a aderir o mais possível a este tipo de produtos. Porque não basta ingerir fruta, legumes, carnes magras, peixe… é preciso que seja realmente saudável e nutritivo. E, quanto a mim, saudável mesmo é um alimento isento de químicos: nada de pesticidas, aditivos, hormonas, antibióticos, etc.. Só assim tiramos todos os benefícios do que estamos a comer. Alimentarmo-nos do que a natureza nos dá… ao seu ritmo.

 

Este é um mercado ainda residual, mas em crescendo. Quando vamos às compras, poucos são os produtos conotados com ‘bio’ nas prateleiras dos supermercados. Mas já os há, em hipermercados, supermercados e, claro, nas lojas da especialidade. Existem também já em vários pontos do país pequenos mercados semanais que só comercializam produtos provenientes de agricultura biológica. E, para que tal seja, é preciso que sejam certificados. Pode consultar a lista e respetivas datas AQUI.

 

Também já existem empresas que fazem entrega ao domicílio, para facilitar o acesso dos consumidores a estes produtos.

 

É certo que estes pontos de comércio estão mais desenvolvidos na capital, zonas circundantes, e nas maiores cidades portuguesas. Por outro lado, quem vive fora dos grandes eixos urbanos tem mais possibilidade de aceder ou mesmo de produzir produtos biológicos.

 

É mais caro? Sim, é. Mas aqui acaba por ser uma decisão pessoal. Porém, se cada vez mais pessoas aderirem, o próprio mercado vai funcionar e equilibrar os preços. Eu acredito que sim.

 

Se quiser, procure nas lojas produtos com o símbolo mostrado na fotografia. É a garantia dada pelas entidades fiscalizadoras de que se trata de um produto biológico.

 

Boa semana.

 

Artigo anterior

Saiba o que se come em casa de Gisele Bündchen

Próximo artigo

David Bowie: um camaleão na moda