Home»VIDA»ALTERNATIVAS»Sol, a identidade

Sol, a identidade

Conheça o papel dos corpos celestes na astrologia. Hoje, damos-lhe a conhecer a influência do sol.

Pinterest Google+

Na antiguidade, afirmava-se que os corpos celestes eram os mensageiros dos deuses, encarregados de trazerem aos homens os presságios acerca de seu destino. Com efeito, e para podermos interpretar um mapa astrológico, os planetas são vistos na era moderna como atores que precisam de um palco e de um cenário para atuarem e expressarem o seu guião.

 

Na astrologia são considerados dez corpos celestes: o Sol, estrela central do nosso sistema solar; a Lua, satélite da Terra; e oito planetas que integram o sistema – Mercúrio, Vénus, Marte, Júpiter, Saturno, Úrano, Neptuno, Plutão.

 

O glifo do Sol é um círculo com um ponto no seu centro. O disco solar mostra a efusão da força da Vida (o círculo), através da abertura do ponto. Assim, a energia criativa potencial do Absoluto emerge em manifestação. O ponto também representa a centelha criativa da Consciência Divina, existente no interior de cada um de nós, unindo o Homem à Fonte de Luz e tornando-o um cocriador, no Plano Universal.

 

O Sol é 99,9% da massa do Sistema Solar. A vida que existe no planeta Terra é a vida que habita o Sol. Todos os átomos do nosso Ser “vibram” na frequência do nosso signo solar. Somos feitos das mesmas substâncias que são feitas as estrelas. O seu papel no mapa astrológico é fundamental, mostra-nos a natureza e as qualidades da energia de que somos constituídos. A nossa luz interior brilha através do Sol: a Solaridade, a vitalidade, a capacidade de afirmação individual. Quando nos perguntam:

 

– Qual é o seu signo?

Respondemos prontamente:

– Eu sou Gémeos, Leão ou Virgem!

 

O signo do Sol descreve, pela sua composição genérica, a maneira de ser de cada um, o que dá a cor, o tom, a luz e a energia para a manifestação de toda a sua vida.

 

A Individualidade é a essência do Ser. Entretanto, a maioria das pessoas não está em verdadeiro contacto com a sua Fonte, tendo apenas perceção de pensamentos e emoções transitórios. Uma vez que não relacionam tais pensamentos e emoções com um todo maior, elas levam uma vida de momentos separados. Uma pessoa em sintonia com o seu Eu interior, isto é, o que é simbolizado pelo Sol, não se deixa enganar por uma imagem fugaz ou uma sensação passageira.

 

O Sol é também o ponto focal para a integração e coordenação das muitas facetas do ser do indivíduo. No horóscopo natal, um Sol mal posicionado ou fraco, pela posição na Casa ou aspeto, geralmente resulta em enfermidades crónicas e falta geral de vitalidade, assim como num desequilíbrio generalizado na vida do nativo.

 

O Sol é a Vontade do Ser de uma pessoa, sendo o gerador de toda a energia da vida. A canalização do seu potencial permite à pessoa expressar o verdadeiro eu no mundo exterior e atrair uma força ilimitada daquela Fonte inesgotável. As finalidades para as quais essa força flui são um fator determinante no destino da pessoa. Para um humano, o Sol é como o núcleo para o átomo. Mesmo que pensamentos, emoções e funções físicas constituam aspetos separados de seu ser total, cada um de nós capta energia do centro (Sol), a fim de preencher seu particular propósito na vida. Este centro corresponde ao coração, no corpo físico. O Sol também está associado ao sistema circulatório, à medula espinhal e ao crescimento em geral.

 

O Sol é também o regente do signo de Leão e de todas as questões da Casa V. Ele relaciona-se com inúmeras posições de autoridade, como magistrados, príncipes, líderes religiosos e espirituais. No mapa feminino, o Sol representa os homens na vida de uma mulher, o marido em particular. No mapa dos dois sexos, o Sol é frequentemente relacionado com o pai ou com a imagem do pai ou do chefe.

 

O Sol é o fator masculino, ativo e criativo, no mapa natal de qualquer pessoa; é a “centelha da vida”.

 

Artigo anterior

A ciência garante que este truque de memória resulta

Próximo artigo

O que se deve comer antes de treinar