Home»ATUALIDADE»ENTREVISTAS»Sofia Loureiro: «Cada vez mais as pessoas estão a tomar consciência de que a saúde está nas suas mãos»

Sofia Loureiro: «Cada vez mais as pessoas estão a tomar consciência de que a saúde está nas suas mãos»

Falamos com a autora do livro “Guia de Remédios Naturais para Mulheres” que pretende ajudar as mulheres a cuidarem melhor de si.

Pinterest Google+
PUB

A preocupação das mulheres pelo seu bem-estar leva-as a procurar ferramentas de desenvolvimento pessoal e formas mais naturais de se cuidarem. Os remédios naturais são uma excelente opção sempre que precisar de recorrer a ajuda externa, pois contribuem para reduzir a intensidade e frequência dos problemas de saúde, aliviar o desconforto e prevenir complicações futuras.

 

Quem o diz é Sofia Loureiro, licenciada em biotecnologia, doutorada em química do ambiente e terapeuta natural. Depois do livro “Guia de Remédios Naturais para Crianças”, a autora lança agora “Guia de Remédios Naturais para Mulheres” pela editora Nascente.

 

Depois de vários anos dedicados à investigação científica e à publicação de artigos, juntamente com os conhecimentos adquiridos ao longo da sua formação em diversas disciplinas de terapias naturais como naturopatia, homeopatia ou aurículo-acupuntura, a autora lança esta obra que tem resposta para mais de meia centena de queixas de saúde feminina comuns, como dor na mama, celulite, estrias, infeção vaginal, menstruação, prisão de ventre, etc, e recomendações detalhadas sobre como utilizar um vasto leque de terapias naturais para cada uma delas: Herbalismo, Aromaterapia, Florais de Bach, Hidroterapia e Geoterapia, Homeopatia e Sais de Schüssler, Remédios Caseiros ou Reflexologia Podal.

 

Como é que surgiu a ideia deste livro?
O projeto de escrever o “Guia de Remédios Naturais para Mulheres” surgiu para mim na sequência lógica do “Guia de Remédios Naturais para Crianças”. As mulheres têm uma curiosidade e persistência inatas, que as leva a buscarem chaves para o seu bem-estar e desenvolvimento pessoal.

 

Quanto tempo levou a juntar todas estas dicas?
À semelhança do “Guia de Remédios Naturais para Crianças”, este foi um desafio que exigiu um grande empenho, dedicação e amor durante mais de um ano e meio de investigação e trabalho.

 

Depois do livro dedicado às crianças e deste para as mulheres, há material para um exclusivamente focado nos problemas masculinos?
As queixas de saúde masculinas poderão virão a ser integradas num outro projeto de remédios naturais que terá um contexto mais amplo e não tão exclusivo como estes dois primeiros trabalhos. Antes, já tenho outro projeto em curso, desta vez mais na área da ficção. Depois volto aos remédios naturais, ainda há muita coisa para partilhar nessa área.

 

Quais são as vantagens da medicina tradicional?
A medicina tradicional (ou natural) tem como vista restaurar e manter o equilíbrio funcional do organismo através de diversas disciplinas naturais. Sempre que usados corretamente, os remédios naturais têm diversas vantagens, tais como: menor possibilidade de efeitos colaterais que os medicamentos farmacêuticos de síntese; não intoxicam o organismo; não causam problemas de resistência a patógenos; ao serem naturais, os produtos de eliminação não contaminam o ambiente e seguem um modelo holístico, isto é, têm em conta a integridade do indivíduo a nível mental, emocional e físico.

 

Sente que há um interesse maior do público na medicina tradicional nos últimos anos? E como explica este fenómeno?
Há um maior interesse e procura porque cada vez mais as pessoas estão a tomar consciência que a saúde está nas suas mãos e que são livres de escolher como primeira abordagem os remédios naturais – menos agressivos para o seu organismo – e que vão estimular o corpo em direção à cura em vez de reprimirem sintomas, não resolvendo o problema de raíz. As pessoas são curiosas, interessadas e querem aprender mais sobre si próprias, sobre a dinâmica do seu corpo, da sua saúde.

 

Licenciou-se em Biotecnologia. Como é que surgiu o seu interesse por estas matérias?
Ele não surgiu, ele esteve sempre lá porque em casa a minha mãe sempre usou remédios naturais. A minha licenciatura em Química Aplicada com especialização em Biotecnologia e o meu posterior Doutoramento em Química Ambiental, deram-me uma boa bagagem para consolidar o que depois aprendi nas minhas formações em Terapias Naturais. De facto, ao longo dos dois livros alerto frequentemente para assuntos de Saúde Ambiental, o que seria difícil de contextualizar sem a minha experiência prévia na área do ambiente. Assim, no meu percurso individual todos os conhecimentos foram-se encaixando de forma a se complementarem e reforçarem. O conhecimento deve ser cumulativo e não exclusivo.

Artigo anterior

Sara Sampaio na Sports Illustrated Swimsuit pelo segundo ano consecutivo

Próximo artigo

Beber vinho tinto ajuda a emagrecer