Home»VIDA»CASA & FAMÍLIA»Skool, novo projeto de open learning aposta na autonomia dos alunos

Skool, novo projeto de open learning aposta na autonomia dos alunos

Respeito pela natureza, autonomia e empreendedorismo são algumas das valências incentivadas pelo novo projeto educativo que abriu em Mafra. Destinado a alunos do primeiro ciclo em regime de ensino doméstico, trabalha a felicidade e a brincadeira da criança, ao mesmo temo que sistematiza os conteúdos e a memorização, para uma aprendizagem realmente efetiva.

Pinterest Google+

Chama-se Skool e é um novo projeto de open learning que abriu em Mafra, para apoiar alunos do 1º ciclo que estudam em regime de ensino doméstico. Foi criada por 27 pais com o objetivo de estimular as competências das crianças através de um método de ensino mais natural, que respeite mais o tempo da criança e contribua para a sua formação completa. A necessidade da criação desta escola surge por considerarem que o método de ensino normalizado atual não está alinhado com a evolução social sofrida nas últimas décadas e, por isso, afiançam, a vida intelectual das crianças não pode ser apenas alcançada pelo exercício da sua mente como se fossem máquinas de memória.

 

Na Skool são incentivados o respeito pela natureza, a autonomia e o empreendedorismo, impulsionando os mais pequenos a encontrarem soluções e não apenas a identificarem problemas. Aqui, acredita-se que as crianças não precisam de quantidade de saber, mas sim de qualidade e, por isso mesmo, são tratados como seres ativos e não como sujeitos passivos ao conhecimento e instrução do professor.

 

VEJA TAMBÉM: QUANTO DEVE PESAR UMA MOCHILA ESCOLAR? SAIBA COMO FAZER A ESCOLHA CERTA

 

Mas, afinal, como funciona? «Os dias tem algumas bases comuns, mas são todos diferentes. As crianças têm cerca de duas horas e meia de trabalho autónomo ao longo do dia, que é atribuído pelas tutoras e em função do estado de aprendizagem de cada criança. Ou seja, o ritmo de aprendizagem e a matéria é feita em função de cada uma. Depois, têm sempre ateliers e oficinas de brincadeiras, que são espaços onde podem por exemplo ir visitar atividades locais (negócios, artesãos, comunidades) para aprender com a vivência prática. Aprender o que é o metro quadrado é mais fácil fazendo na terra, aprender o metro cúbico é mais fácil se estiverem numa piscina ou se quiserem aprender sobre o meio ambiente é mais fácil com uma vivência no campo. Estas atividades são complementadas com a sistematização dos conteúdos e memorização dos mesmos. Aqui, as crianças brincam e aprendem enquanto brincam», explica José Borralho, um dos pais fundadores e agora presidente da Skool.

 

O método de ensino aplicado nesta instituição vai de encontro às novas tendências da educação, focadas no desenvolvimento das crianças através de um contacto mais intuitivo com o saber, que tem por objetivo desenvolver e aproveitar as potencialidades de cada estudante.  Veja imagens na galeria acima.

 

VEJA TAMBÉM: LANCHES SAUDÁVEIS (E DELICIOSOS) PARA CRIANÇAS

 

Face ao ensino tradicional, este novo método propõe uma maior diversificação de conhecimentos em detrimento de uma exaustiva repetição de conteúdos, uma relação de maior proximidade e conhecimento dos alunos face a problemas relacionados com o mundo real e um acompanhamento personalizado na aprendizagem, permitindo que o ensino seja algo divertido para as crianças fora das horas de brincadeira.

 

«Na sKool, estamos convictos de que as crianças não precisam de quantidade de informação, mas sim de qualidade. Ao contrário do que muitos possam pensar, as crianças não são adultos incompletos, elas são completas, repletas e interna e externamente com possibilidades infinitas. As crianças tornam-se adultos, e para isso precisam apenas de ser orientadas, receberem informação adequada e oportunidades», explica José Borralho.

Artigo anterior

Estratégias para conseguir alcançar sempre os seus objetivos

Próximo artigo

Doentes respiratórios crónicos já têm plataforma online