Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Site de encontros português torna-se mais inclusivo para utilizadores invisuais

Site de encontros português torna-se mais inclusivo para utilizadores invisuais

A pandemia aumentou a procura por sites de encontros, incluindo de utilizadores com necessidades especiais. O site Felizes.pt encontra-se em conversações com a ACAPO - Associação dos cegos e amblíopes de Portugal, para obter a certificação de acessibilidade desta associação.

Pinterest Google+
PUB

A plataforma de encontros online Felizes.pt continua a promover a inclusão de todos os utilizadores em tempo de pandemia, procedendo a alterações para acomodar os leitores de ecrã dos utilizadores invisuais e trabalhando com a ACAPO para obter a sua certificação de acessibilidade.

 

A preocupação com questões de acessibilidade no site começou há uns anos quando um utilizador invisual entrou em contacto com o Felizes.pt mencionando que nem sempre conseguia ler as mensagens que recebia porque a forma como estas surgiam no ecrã não era compatível com o seu leitor. Prontamente, a equipa mobilizou-se para resolver o problema, descarregando o mesmo software de leitura de ecrã de forma a conseguir replicar a experiência deste tipo de utilizadores e compreender onde podiam ser feitas melhorias no site. Para além do problema original, procederam a duas modificações adicionais, uma sugerida pelo utilizador e outra por pela equipa do Felizes.pt: uma notificação sonora após cada mensagem recebida, e o carregamento paginado de 10 em 10 mensagens por cada conversa, caso contrário o leitor vocal iria ler praticamente toda a conversa cada vez que esta fosse aberta.

 

Questionado sobre esta experiência, o utilizador invisual revelou ter sido «de longe o melhor feedback que tive de qualquer site. Cheguei a utilizar outras plataformas de encontros que tinham problemas semelhantes e que tornavam a minha experiência muito complicada. Ao contrário da disponibilidade e simpatia com que me ouviram no Felizes.pt, outros sites nem sequer me deram qualquer tipo de resposta».

 

VEJA TAMBÉM: CLICHÉS NO ONLINE DATING: O QUE NUNCA DEVE DIZER NO SEU PERFIL

 

Rui Sousa, cofundador do site, refere que «foi o primeiro relato que tivemos de problemas de acessibilidade. A primeira emoção que tivemos foi sentirmo-nos mal. Mal, porque estivemos ocupados em criar uma plataforma para todos os portugueses e, afinal, havia pessoas que não a conseguiam usar! E daí nasceu uma vontade forte em corrigir a situação, independentemente do nosso trabalho vir a ser aproveitado só por este único utilizador ou por milhares de portugueses. Corrigir um problema de acessibilidade é algo que não faz sentido financeiramente – nas folhas contabilísticas não tem explicação. Mas nós, apesar das dezenas de milhares de portugueses na nossa plataforma, somos uma pequena empresa portuguesa. E temos a consciência de não olharmos só para a folha de caixa no final do dia».

 

A procura cada vez mais acentuada do site com a chegada da pandemia veio reforçar a preocupação com a acessibilidade já que poderão surgir outros utilizadores com necessidades especiais e, numa fase em que as pessoas se sentem mais sós, as ferramentas deverão estar ao otimizadas e ao alcance de todos. Por este motivo, o Felizes.pt, encontra-se em conversações com a ACAPO – Associação dos cegos e amblíopes de Portugal, para passar obter a sua certificação de acessibilidade. A associação tem peritos que podem avaliar a acessibilidade de locais, informação escrita, websites e sistemas de informática, podendo também dar formação para um melhor atendimento de pessoas com deficiência visual.

 

Artigo anterior

Bean App: a nova plataforma que une mães e especialistas em maternidade

Próximo artigo

Compulsão alimentar: o stress e a ansiedade fazem comer mais