Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Sementes de chia não aumentam desempenho atlético

Sementes de chia não aumentam desempenho atlético

Um estudo vem comprovar que não há nada de mágico na composição das sementes de chia que aumente o desempenho de um atleta, como tem sido amplamente difundido.

Pinterest Google+
PUB

Um estudo do Laboratório de Desempenho Humano do Centro de Investigação North Carolina, Estados Unidos, publicado no jornal ‘Nutrients’ desmascarou a crença de que as sementes de chia são um impulsionador natural de desempenho para os atletas.

 

As sementes de chia são conhecidas como o alimento principal dos atletas de corrida de resistência. Através de livros, de artigos na Internet e das empresas que vendem produtos de chia, a crença de que o seu consumo é a justificação para a capacidade de os atletas correrem durante horas tem crescido. Porém, esta investigação vem dizer que tal não está provado.

 

«A chia é um alimento muito nutritivo que os atletas devem incluir na sua dieta», declarou David Nieman, autor do estudo ‘Influências não positivas da ingestão de chia nos atletas’, ao jornal ‘Nutrients’. O investigador enfatiza que as sementes são ricas em ácido alfa-linolênico (ALA), um ácido gordo da família dos ômega-3, bem como fibras, vitaminas e minerais. Porém, «a nossa pesquisa mostra que se o atleta ingerir um óleo de sementes de chia antes ou durante uma corrida, não deve esperar qualquer tipo de benefício. O ALA das sementes de chia não é utilizado pelo músculo durante o exercício intenso de trabalho. Os músculos preferem hidratos de carbono», explica Nieman.

 

Veja a galeria: O poder das sementes

 

Nieman, um corredor de maratona veterano, iniciou este estudo na esperança de confirmar os benefícios das sementes de chia para o desempenho atlético. Colocou a hipótese de a chia ser uma fonte de «energia sustentável que ajuda os atletas a correr mais», depois dos hidratos de carbono se esgotarem no corpo.

 

Para a experiência, foram testados 24 corredores masculinos e femininos com idades compreendidas entre os 24 e os 55 anos. Os corredores apresentaram-se em jejum no laboratório duas vezes, de duas em duas semanas. Recolheram uma amostra de sangue de manhã, ingeriram meio litro de água com óleo de sementes de chia ou meio litro de água aromatizada. As sementes demoram duas horas até chegar ao intestino. Após duas horas e meia, forneceram uma segunda amostra de sangue e, de seguida, correram ao ritmo de maratona até à exaustão. Foram dadas amostras de sangue adicionais imediatamente após o exercício e uma hora mais tarde.

 

Veja a galeria: As sementes que deve conhecer

 

A análise revelou que os níveis plasmáticos ALA ficaram três vezes maiores do que o normal, quando os atletas ingeriram a água com óleo de sementes de chia, mas o tempo de execução até à exaustão não deferiu entre os atletas que consumiram água aromatizada.

 

Os investigadores não encontraram nenhum efeito sobre o desempenho dos atletas por terem consumido óleo de sementes de chia. Há quem pense que o ômega-3 tem efeitos anti-inflamatórios, «mas não encontramos influência de óleo de sementes de chia na inflamação induzida pelo exercício», disse Nieman.

 

Nieman garante que a chia é um alimentos bastante nutritivo, semelhantes a outras nozes e sementes, mas não há nada de mágico na sua composição que aumente a saúde ou o desempenho de um atleta.

 

Leia ainda: Conheça o perigo associado ao consumo de sementes de chia

 

Artigo anterior

Descubra o parceiro ideal para si

Próximo artigo

Emma Watson cria clube de livros feminista