Home»VIDA»CARREIRA»Secretárias que permitem trabalhar sentado e em pé aumentam produtividade e defendem saúde do trabalhador

Secretárias que permitem trabalhar sentado e em pé aumentam produtividade e defendem saúde do trabalhador

Estudo realizado na Escócia e na Austrália encontrou benefícios em trabalhar em secretárias ajustáveis em altura. Há benefícios para a saúde e para o trabalho reduzindo o tempo sentado ao longo do dia em cerca de uma hora.

Pinterest Google+

O uso de postos de trabalho que permitem ao trabalhador alternar entre ficar em pé e sentado é benéfico para a saúde, para o desempenho e para a saúde psicológica, segundo um estudo publicado ontem no ‘British Medical Journal’, uma das mais influentes e conceituadas publicações sobre medicina do mundo,

 

Os trabalhadores de escritório são normalmente bastante sedentários, já que passam cerca de 70 a 85% do seu tempo diário sentados, e este tipo de comportamentos costuma estar associado a um aumento do risco de contração de doenças crónicas, como a diabetes, doenças cardíacas e até alguns tipos de cancro.

 

Nesta nova pesquisa, um grupo de investigadores da Escócia e da Austrália decidiu avaliar qual é o impacto que o uso de secretárias que permitem trabalhar também em pé tem na redução do tempo de espera no trabalho.

 

VEJA TAMBÉM: GOSTARIA DE TRABALHAR EM CASA? EXIGE REGRAS…

 

Para tal, este grupo de investigadores decidiu estudar os hábitos de 146 trabalhadores de escritório dos Hospitais Universitários de Leicester NHS Trust, durante 12 meses. Deste grupo, que tinha uma média de idades a rondar os 41 anos e 80% eram mulheres, 77 foram escolhidos para o grupo de intervenção e 69 para o grupo de controlo. Os membros do grupo de intervenção receberam uma estação de trabalho ajustável em altura, instruções para trabalharem em pé e sentados, bem como feedback sobre atividade física, um plano de ação e definição de metas e sessões de coaching. O grupo de controlo continuou a trabalhar normalmente e com as habituais secretárias.

 

O tempo de espera dos trabalhadores foi medido usando um dispositivo usado na coxa no início do estudo e nos 3, 6 e 12 meses. Níveis diários de atividade física e questões sobre o trabalho e saúde também foram registados.

 

No início do estudo, o tempo total de sessão foi de 9,7 horas por dia. Os resultados mostram que o tempo de sessão foi menor em 50,62 minutos por dia em 3 meses, 64,40 minutos por dia em 6 meses e 82,39 minutos por dia em 12 meses no grupo de intervenção em comparação com o grupo de controlo. A redução da capacidade de sentar foi largamente substituída pelo tempo gasto em pé em vez de se mover, já que o tempo de passo e a atividade física permaneceram inalterados.

 

VEJA TAMBÉM: MAIORIA DOS COLABORADORES QUER MAIOR FLEXIBILIDADE NO TRABALHO

 

No fim deste estudo, os resultados conseguidos com estes dois grupos demonstraram que aqueles que passaram a trabalhar nas secretárias ajustáveis tiveram um melhor desempenho e concentração no trabalho, menor fadiga, menos ansiedade e uma melhor qualidade de vida.

 

As estações ajustáveis reduziram o tempo sentado e também foram observadas melhorias na saúde, física e psicológica. Só que os autores deste estudo reconhecem que, mesmo bem feito, estas descobertas podem não ser aplicadas a outras organizações.

 

Para Cindy Gray, da Universidade de Glasgow, este «é um estudo importante que demonstra reduções duradouras no comportamento sedentário e com outros benefícios relacionados com o trabalho». A investigadora avisa que, numa investigação futura, deve ser estudada a relação custo-benefício destes novos postos de trabalho.

 

 

Artigo anterior

Quando levar o filho ao oftalmologista? Conheça os sinais de alerta

Próximo artigo

Estilo à prova de frio