Home»VIDA»ALTERNATIVAS»Sabores e emoções explicados pela medicina ayurvédica

Sabores e emoções explicados pela medicina ayurvédica

Para manter o equilíbrio apropriado da química do corpo é importante estarmos conscientes da atividade dos elementos dentro do nosso organismo. Com este conhecimento podemos orquestrar o ritmo do corpo e da mente, acrescentando ou subtraindo elementos da dieta conforme o necessário.

Pinterest Google+
PUB

Picante

Pujante ou picante é denominado de Katu e contém Fogo e Ar. É leve, seco e quente por natureza. Produz sensação de ardor na ponta da língua, latejamento da região e cefaleia e é instantaneamente seguido por secreção nasal (coriza abundante). A ingestão de uma pequena porção de Picante pacifica imediatamente o Kapha e o Vata devido ao calor, contudo o consumo prolongado e excessivo cria secura e aumenta tanto o Vata quanto o Pitta. É gorduroso, leve e quente; ajuda nos problemas de Kapha diluindo os mucos congestionados. Antiespasmódico, anti-helmíntico, estimulante, carminativo, diaforético (promove o suor). Estimula o metabolismo e promove as funções orgânicas. Promove o calor estimula a circulação e trata a estagnação do sangue, purificando-o. Abre a mente e os sentidos e limpa os canais energéticos, reduzindo as dores nervosas e a tensão muscular.

 

Consumido moderadamente suporta o agni e melhora a digestão e absorção, ajudando a libertar desperdícios do corpo. Combate as infecções bucais, diminui a untuosidade, a humidade, a urina e o suor; estimula a digestão aumentando a absorção dos alimentos, aumenta o Agni. Purifica o sangue e o corpo, melhora a circulação sanguínea e ajuda a eliminar coágulos do sangue; elimina os vermes, e cura doenças de pele.

 

O picante traz entusiasmo, vitalidade, vigor, coragem, brilho corporal e determinação. Remove obstruções mentais e traz clareza à percepção. Ajuda a mente a investigar, explorar, sondar, e a concentrar. A mente torna-se focada, penetrante, atenta e determinada. Contudo o excesso de picante produz irritação, violência, inveja, ciúme, agressividade. Quando a pessoa se zanga muito precisa de evitar o picante e comer doces para arrefecer e acalmar.

 

Apesar de possuir as virtudes mencionadas acima, o picante produz vertigem, perda da consciência, choque, tonturas, desmaio, soluços, insónia, secura da garganta, palato e lábios, sensação de ardor e elevação da temperatura corporal, e leva à perda do vigor no caso de ser ingerido em grandes quantidades com exclusão dos demais sabores. Quando ingerido em excesso, resseca, perturba todos os problemas de Pitta, aumenta o calor, perturba a digestão, aumenta a bílis, emagrece, provoca ardor por todo o corpo; causa debilidade. A acção penetrante do picante provoca inflamação, irritação e ulceração.

 

Ácido… ou azedo

Constituído de Fogo e Terra, o Amla é azedo, ácido, fermentando facilmente. Aumenta o Pitta e o Kapha, diminui o Vata. O Ácido é leve, quente, líquido e oleoso por natureza e estimula o metabolismo. O ácido deve ser considerado um digestivo do alimento assimilado e é dotado de propriedades resolutivas, aperientes e carminativas. É alterativo (purifica o sangue), limpando e desintoxicando. Reduz todos os tecidos e aumenta a leveza da mente. É antibiótico e antisséptico e também purifica a mente e as emoções. Em pequena quantidade estimula a digestão. Auxilia a digerir os açúcares e gorduras.  É refrescante, mas aumenta a sede porque seu Virya é quente aumentando o calor. Estimula o apetite e ajuda à secreção da saliva.

 

Quando se coloca o sabor ácido na língua os sentidos ficam penetrantes e fechamos os olhos. Tornam os olhos, ouvidos e dentes sensíveis. Aumenta a salivação, estimula o apetite, e até certo ponto aumenta a produção de enzimas digestivas. Ácido em moderação tem um efeito carminativo e antiespasmódico. É refrescante; energiza o corpo, nutre o coração e aviva a mente. Os alimentos ácidos podem favorecer o aumento do raciocínio e a presença de espírito, isso porque estimulam o Pitta.

O sabor ácido traz compreensão, apreciação, reconhecimento e descriminação. O ácido é penetrante fomentando o estado de alerta e de atenção. Contudo o excesso induz ao criticismo, julgamento, ciúme e ódio. Torna a mente agitada, hiperactiva, e tão discriminativa que a pessoa se torna lentamente crítica. No final das relações surge muitas vezes o sabor ácido na boca, sinal de julgamento e rejeição.

 

O excesso de ácido pode ser tóxico para o fígado e gera condições inflamatórias. Num Pitta o excesso de ácido gera indigestão ácida e rash cutâneo. O excesso de alimentos ácidos é totalmente desaconselhável pelo Ayurveda, pois os ácidos, principalmente do álcool, do vinagre e dos vinhos são tóxicos. Pode levar ao aumento do pH do sangue causando ardor no estômago, garganta, peito, coração, bexiga e uretra.

 

Adstringente

O adstringente é gerado pelo Ar e Terra, sendo por isso frio, seco e pesado por natureza. Aumenta o Vata, equilibra o Pitta e reduz o Kapha. É muito leve, seco, forte, esfria e limpa o corpo. Produz secura na boca, perda da sensibilidade no palato, que obstrui a garganta e dá origem a uma sensação de atração ou pressão na região do coração. Possui a virtude de ser anti-inflamatório, descongestionante, curativo, constritivo (stambhana), purificador, liquefaciente, secante e capaz de produzir contração.

 

O adstringente melhora a absorção e cria coesão nas fezes. Ele reduz as secreções de membranas mucosas. Reduz sangramentos, úlceras e outras eliminações excessivas (como suor e diarreia); promove a coagulação e constrição dos vasos sanguíneos. Promove a saúde da pele e membranas mucosas.

 

Em excesso pode produzir secura da boca, distensão abdominal, espasmos, perda da fala, torcicolo e calafrios. Faz perder peso sem saúde, resseca o corpo, resseca a boca, provoca obstipação, convulsões,  obstrução da fala, pode afectar o coração se consumido em excesso, diminui o esperma e o apetite sexual, estagna a circulação sanguínea; favorece as paralisias e outras desordens neuromusculares de Vata.

 

Psicologicamente o elemento terra promove o apoio e o enraizamento. Agrega as coisas e torna a mente organizada, colocando tudo no sítio certo. O excesso torna a mente dispersa e desorganizada. Pode criar insónias, medo, ansiedade assim como rigidez, fixação, dureza e estagnação emocional. A depressão também surge ligada à ingestão excessiva de adstringente.

 

Aplicar os seis sabores no quotidiano

Como referido anteriormente, os seis sabores deverão fazer parte de cada refeição, como forma de trazer ao nosso cérebro, sob a forma de alimentos, uma diversidade e riqueza de informação neurológica sobre o nosso mundo físico e subtil.

 

Cada sabor tem uma ação concreta sob cada um dos humores, sendo deste modo que na Ayurveda adequa a dieta a cada tipo de constituição. O paladar, muito para além de preencher os nossos apetites, é uma fonte de informação sensível e segura através da qual podemos orientar e reequilibrar as emoções.

Artigo anterior

IPCC identifica 60 alterações de estilo de vida para travar aquecimento global

Próximo artigo

OMS: falta de atividade física no top dos principais riscos de morte