Home»VIDA»ALTERNATIVAS»Rute Caldeira: «A meditação não é só para alguns»

Rute Caldeira: «A meditação não é só para alguns»

Professora de meditação, coach e autora, lança agora o seu terceiro livro sobre esta prática milenar: «O poder da meditação», que pretende que seja um murro na mesa e desmistifique os mitos que persistem à sua volta. Mas, afinal, o que é isto da meditação? Como se faz e que efeitos tem na nossa vida? Rute Caldeira responde e deixa também dicas para quem quiser começar a meditar em casa.

Pinterest Google+

Acaba de lançar o livro «O poder da meditação». O que nos traz neste novo livro?

Este livro vem no seguimento dos primeiros dois que escrevi – «Liberta-te de Pensamentos Tóxicos» e o «Simplifica a tua vida». É na verdade uma compilação dos meus vários anos de estudo e ao mesmo tempo a resposta ao mesmo pedido que recebi de um número grande de pessoas – como posso aprender a meditar?

 

Senti também grande vontade de mostrar às pessoas que a meditação não é só para alguns, e que não precisamos preencher determinados requisitos para incluir esta prática na nossa rotina. Sinto este livro como uma espécie de murro na mesa, porque ele vem para quebrar com uma série de crenças limitadoras e para mostrar que as coisas são simples, a nossa mente é que fecha as portas antes mesmo de as termos tentado abrir.

 

Qual é então o poder da meditação? O que pode fazer por nós?

Precisamente no meu livro, tento acabar com este tipo de expectativas e “promessas”, porque as pessoas agarram-se aos resultados e podem acabar frustradas pelo caminho, por estarem a colocar tanta pressão no que “deve acontecer”. Na minha opinião a meditação conduz-nos à nossa verdadeira natureza, porque ela ensina-nos a estar connosco próprios, ensina-nos a olhar para o nosso mundo sem distrações, sem máscaras, sem reservas e sem ruído.

 

VEJA TAMBÉM: APENAS UMA SESSÃO DE MEDITAÇÃO CONSEGUE REDUZIR PROBLEMAS DE ANSIEDADE

 

De que forma a meditação a ajudou na sua vida? 

A meditação colocou-me em contacto com um verdadeiro tesouro – para mim o mais precioso dos tesouros – a minha essência, a minha verdadeira natureza, aquilo que é real, autêntico. Aos poucos foram caindo as “máscaras”, a necessidade de caber no mundo de alguém, a necessidade de ser aceite, a necessidade de parecer foi substituída pelo ser e esse foi o meu maior ganho.

 

Há alguma história que possa partilhar sobre a prática de meditação ter mudado profundamente a vida de alguém?

Um dos capítulos do novo livro chama-se precisamente: Meditações com História, onde eu conto como a meditação trouxe profundas mudanças na vida de quem a introduziu. Deixo aqui por isso um pouco de suspense, e o convite para lerem essas mesmas mudanças de vida.

 

Na realidade, hoje em dia, cada vez mais pessoas procuram soluções para abrandar o ritmo. O que a meditação pode oferecer?

A meditação oferece vários benefícios, e um deles é a plena consciência de como está o nosso corpo no seu todo – pensamentos, emoções, ritmo cardíaco, ritmo da respiração, se há tensões… Com a consciência vem a transformação e a vontade de viver com qualidade de vida e em equilíbrio. A partir da meditação ganhámos autocontrolo, foco, clarividência e serenidade.

 

VEJA TAMBÉM: SPAS DE SILÊNCIO: A NOVA TENDÊNCIA DE BEM-ESTAR

 

Muitas pessoas revelam que têm dificuldade em abstrair-se, logo, em meditar. Qual a sua recomendação?

Essa crença é uma das razões que leva muitas pessoas a nem se quer tentarem meditar, pois criou-se a crença de que meditar é não pensar em nada. Meditar é ter a capacidade de sair do mundo exterior e entrar no nosso mundo interior, passando a ser o observador (aquele que vê tudo o que se passa dentro de si mesmo) e o observado (aquele que se vê a si próprio). Existem variadas (e muito simples) técnicas que nos mostram como de facto a meditação é algo tão natural e fácil. A minha recomendação é que as pessoas procurem professores que as possam ensinar, pois há meditações para todo o tipo de pessoas – meditações ativas (através da dança, do caminhar), ou passivas.

 

Que efeitos e no organismo toda a pressão que lhe infligimos neste mundo moderno?

O nosso corpo está a receber uma violência diária a partir do ritmo acelerado e contranatura em que andamos. Sem que as pessoas se apercebam, e como consequência do stress, está a ser produzido nos seus corpos maiores quantidades da hormona cortisol, e isto provoca sono irregular e não reparador; irritabilidade; perda de memória; queda de cabelo; pressão alta; redução das defesas do organismo.

Artigo anterior

Dieta no inverno: pecar sem culpa

Próximo artigo

De qualidade e sem plástico: DGS promove consumo de água da rede pública