Home»BEM-ESTAR»CORPO»Rosto: a nossa identidade e a nossa felicidade

Rosto: a nossa identidade e a nossa felicidade

Quando se pensa em “beleza” normalmente a nossa mente imagina um rosto conhecido. Nenhuma parte do nosso corpo revela mais para o mundo do que o rosto. Ele identifica-nos e está retratado nos nossos documentos oficiais. É também para o rosto que olhamos pela manhã ao espelho quando começamos o dia e é nele que nos fixamos quando nos comunicamos uns com os outros.

Pinterest Google+
PUB

Quando dizemos a uma pessoa que ela é bonita, geralmente referimo-nos à fisionomia dos traços do rosto. É ainda nele que expressamos as emoções (alegria, tristeza, dor, raiva, frustração, depressão ou de euforia). As chamadas expressões emoções não verbais.

 

Também é no rosto que está caraterizada a nossa herança do “DNA Fenótipo” (as caraterísticas morfológicas como a cor e formato dos olhos, a forma do rosto e a forma dos lábios, consoante a nossa origem e raça e o tipo de fisiologia).

 

Por ser a parte do corpo mais exposta, ter uma pele bonita é uma das preocupações que nos acompanha como ser humano, desde a infância até ao envelhecer. Tanto que é a parte do corpo mais decorada com maquilhagem e adornos desde a pré-história até aos dias atuais.

 

VEJA TAMBÉM: TER SAÚDE É SER SUSTENTÁVEL

 

Nas sociedades modernas, ter acne, manchas na pele, cicatrizes, olheiras profundas ou qualquer outro tipo de alterações que modifiquem esta região do nosso corpo acaba por perturbar as nossas emoções, modifica a autoestima e mexe com a nossa identidade.

 

Ter hábitos de vida saudáveis é importante para se ter um rosto são e bonito, porque a saúde e a beleza começam à mesa e a juventude biológica desenvolve-se com boa saúde. Mas quando falamos de “felicidade” e de qualidade de vida social, precisamos de fazer uma outra forma de avaliação.

 

Existem dois aspetos que determinam o nível de felicidade e de bem-estar do ser humano e que são os maiores fatores de influência na saúde e na qualidade de vida, das chamadas sociedades desenvolvidas. Estes devem ser levados em conta, ainda antes de se olhar a pessoa como um doente a precisar de ajuda. São eles: a forma como encaramos a relação com a comida e a maneira como gerimos o nível de felicidade.

 

Enquanto profissional de saúde preventiva e sustentável, considero que partir do primeiro contato é importante estabelecer uma harmoniosa comunicação em que não existe um doente ou paciente, mas sim um “SER HUMANO”, que pode começar um encontro com o seu relógio biológico em busca de um ciclo com mais  qualidade de vida em todos os sentidos (social, cultural, emocional, familiar, profissional e na saúde metabólica).

 

Este tipo de atuação onde o ser é tratado de forma integral, do latim “integralis”, que significa, total, inteiro, completo, é feito considerando todos os fatores de influência epigenética, que alteram o DNA fenótipo da sequência não herdada.

Não existe doença, apenas doentes, inseridos num contexto geográfico com diversos tipos de hábitos enraizados, os quais precisam de ser considerados e ajustados às necessidades de cada pessoa e ou sociedades. Compreendido este aspeto, importa agora definir o caminho como é feito este encontro entre a vida e o equilíbrio com o corpo.

 

“A saúde é um estado de consciência, regional, profissional, social, cultural e pessoal”

 

Para que esta afirmação seja tomada em conta, todos precisam de estar envolvidos numa visão de mudança do paradigma da saúde e da qualidade de vida das populações no mundo e nas sociedades.

 

É sabido que a boa nutrição, é a melhor escolha para preservar a saúde e juventude do corpo. Uma alimentação variada e um estilo de vida saudável são os conselhos de todos os profissionais de saúde das mais diversas áreas específicas.

 

Importa agora saber quais os passos a dar para poder beber da fonte da juventude, em busca do equilíbrio vital e da imunidade inata, tão importantes para a verdadeira qualidade de vida.

 

 

Os cuidados a ter para uma manutenção de vida com qualidade, devem começar por estar diariamente focados em 7 regras básicas:

 

  1. Pele, rosto e corpo (cabelo e unhas)

São os mais expostos e a montra do corpo. A saúde do interior reflete-se no exterior.

Uma saúde frágil, manifesta-se num rosto com pele sem viço, olheiras, manchas ou acne, cabelo e unhas quebradiços. Ter uma boa aparência é o melhor incentivo para estar motivado para a vida. É importante consumir água de qualidade e de quantidade para a boa higiene e manutenção da hidratação da pele, do cabelo e das unhas. Além disso a água é um dos processos de limpeza e de eliminação das toxinas acumuladas. Água é vida.

 

  1. Antioxidantes para reforço da imunidade

Os antioxidantes absorvem as moléculas instáveis e prejudiciais que resultam da invasão dos radicais livres (poluição, stress, tabagismo, radiações das frequências eletromagnéticas, maus hábitos respiratórios). Os alimentos nutracêuticos de reforço antioxidante, possibilitam que o sistema imunitário inato reaja de forma natural na produção de “Linfócitos T”, para reduzir as inflamações que geram em nós doenças e o envelhecimento precoce. As frutas, vegetais, nozes e cereais integrais possuem grandes quantidades de antioxidantes.

 

  1. Desintoxicação natural

O sistema gastrointestinal (boca, estômago e intestinos) e de destoxificação (fígado, baço, pâncreas e rins) atuam em conjunto ao usarem os nutrientes dos alimentos que precisam, para eliminar do corpo todas as toxinas e bactérias nocivas e que podem reduzir a nossa energia, criar inchaço e estimular os processos inflamatórios degenerativos. Por isso é necessário manter uma alimentação de qualidade, reforçada em vitaminas, minerais, alimentos simbióticos, porque vai estimular as enzimas digestivas e a presença de bactérias pro bióticas no intestino.

 

  1. Mobilidade e força

Praticar exercícios físicos de manutenção para uma boa postura do sistema esquelético, previne o envelhecimento dos músculos, tendões, sistema circulatório venoso e linfático e mantém o espírito jovem. Um corpo sem dor é um corpo que se mantém ativo. Diariamente ou três vezes por semana pratique exercícios ou caminhadas ao ar livre ou em circuitos adaptados para o efeito.

 

  1. Saúde do coração

 O coração é a bomba mecânica do corpo humano que bombeia o sangue e o faz circular por todos os sistemas, levando oxigénio e nutrientes a todas as células, para as renovar e rejuvenescer. Manter este órgão limpo, saudável, é manter a verdadeira juventude. Os alimentos ricos em antioxidantes e ómegas são os aliados certos para que tenhamos um coração bom e com longevidade.

 

  1. Saúde do cérebro

Uma boa saúde mental mantém-nos motivados e ativos. Uma das melhores formas de prevenção para reduzir o burnout, a depressão e o stress, começa por termos de dormir 8 horas por noite. Esta prática estimula a produção de triptofano. Este aminoácido transforma-se em serotonina e esta em melatonina.  Por isso é que durante o dia temos mais serotonina na pituitária e ao chegar a noite produzimos mais melatonina, este é o processo que nos regula o relógio biológico do ciclo circadiano. O cérebro precisa de combustível e de bons nutrientes para estar são e feliz.

 

  1. Praticar o Amor e a Sustentabilidade

Todos nascemos dotados dessa capacidade humana inata que é o amor doação. Quando nos tornamos adultos e pais, somos capazes de forma natural e intuitiva de praticar a ação do amor doação, que cuida, protege e defende. São os pequenos gestos de valores humanos que geram á nossa volta uma onda de boas práticas, boas ações e sentimentos de altruísmo e de respeito. Este é o alimento que nos torna fortes e resistentes em comunidade, quando somos assolados por catástrofes. Os laços humanos precisam de ser resgatados e multiplicados, por si, por nós e por todo o planeta. Só assim podemos ser sustentáveis e saudáveis. Temos de Ser Humanos Conscientes!

 

Artigo anterior

Os alimentos para uma alimentação mais equilibrada na primavera

Próximo artigo

A primavera e as conjuntivites