Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Rock in Rio apresenta Rock Your Street e cartaz com pluralidade cultural

Rock in Rio apresenta Rock Your Street e cartaz com pluralidade cultural

A nova Rock Street apresenta um lineup carregado de ritmos do mundo. É um espaço que vai além-fronteiras, sejam elas geográficas, raciais, geracionais ou religiosas, e que convoca à celebração da pluralidade e da diversidade, trazendo a beleza das diferenças para a cenografia das suas casas, para o lineup do palco e para as performances de rua.

Pinterest Google+
PUB

A nova Rock Street, integrada no Rock in Rio,  chega esta edição mais rica e plural, com o objetivo de dar palco a um mundo feito de todos e para todos. Com um lineup carregado de grandes nomes da world music, performances de rua que trazem diferentes expressões culturais ao festival e uma nova e vibrante cenografia, a Rock Your Street apresenta-se, agora, como um espaço além-fronteiras, onde pluralidade é a palavra-chave. Aqui, não existem barreiras geográficas nem entre raça, religião, crenças ou visões políticas, género ou idade. É um espaço dedicado ao mundo, às pessoas, à sua história, ao respeito e à empatia e que celebra a riqueza que existe nas diferenças, refere a organização em comunicado.

 

Dando as boas-vindas a artistas oriundos de diferentes culturas e todos os cantos do mundo – incluindo Portugal, República do Níger, República Democrática do Congo, EUA, Angola, Turquia, Paquistão, Síria, México, Brasil e Coreia do Sul – a pluralidade do cartaz da Rock Your Street também se espelha nos estilos musicais, na idade e no género dos seus artistas, juntando vozes já consagradas com novas propostas musicais, descendentes dos mais variados backgrounds.

 

Desde fado e eletrónica a techno e pop, de jazz a ritmos tradicionais africanos, muitas mais são as sonoridades que vão passar pela rua mais eclética da Cidade do Rock, num palco onde estão confirmados Jupiter & Okwess, Bombino, Paulo Flores & Prodígio, Bruno Pernadas, Omar Souleyman, Arooj Aftab, Idiotape, Johnny Hooker, Titica, Sara Correia, Magdalena Bay e Francisco, El Hombre.

 

VEJA TMBÉM: ROTEIRO DE ARTE SUSTENTÁVEL: CINCO PEÇAS PARA VISITAR EM LISBOA

 

«O Rock in Rio é plural desde que foi criado, em 1985. Na nova Rock Street trazemos, tanto para a cenografia como para a proposta de entretenimento, a nossa filosofia de que o mundo faz muito mais sentido quando somamos tudo aquilo que somos. No Rock in Rio essa visão está materializada na nossa equipa, composta por várias nacionalidades e mais de 60% de mulheres, nas iniciativas sociais que temos vindo a implementar ao longo dos últimos 21 anos, nas pessoas que formamos e empregamos e, este ano, porque é preciso ir mais longe, estabelecemos como uma das metas da Organização para 2030 ser um festival 100% inclusivo e plural», afirma Roberta Medina, vice-presidente do Rock in Rio.

 

Luta pela diversidade

Nesse sentido, o festival assinou recentemente a Carta Portuguesa para a Diversidade, iniciativa da Comissão Europeia, promovida pela Associação Portuguesa para a Diversidade e Inclusão (APPDI), que visa encorajar empresas e empregadores a implementarem e desenvolverem políticas e práticas internas de promoção da diversidade, tendo também estabelecido uma parceria com a Associação Portuguesa para a Diversidade e Inclusão para trabalhar este tema dentro da organização e no evento.

 

«A Rock Your Street é a nossa forma de desafiarmos todos a levarem esta mesma visão para as suas ruas e os seus bairros, transformando em conjunto connosco. Podem já se preparar porque a energia e vibe desta rua é contagiante e promete não deixar ninguém indiferente», acrescenta Roberta Medina.

 

Com uma cenografia diferente de tudo o que este espaço já acolheu, as famosas “casinhas” da Rock Your Street chegam com um novo look, bastante colorido e vibrantes, ricas em detalhes, mensagens e simbologias que traduzem a mesma visão de pluralidade, prometendo continuar a fazer as delícias dos instagramers. Além disso, este espaço voltará a contar com propostas de animação de rua que, esta edição, levam à Cidade do Rock grupos e coletivos de diferentes culturas, numa programação diversa que a cada dia apresenta um novo ritmo e expressão cultural.

 

Programação na rua do rock

Começando pelo primeiro dia, 18 de junho, Bambaram & Kimbum animam a Rock Your Street com uma performance construída em torno do som da tina – uma grande cabaça tocada dentro de água. Esta atuação é uma celebração à vida pelos grupos de Badju di Tina (Baile de Tina, género musical da Guiné-Bissau), que dançam e cantam ao som deste tambor.

 

Já no segundo dia, 19 de junho, é a vez do grupo de percussão afro-brasileira Baque do Tejo aquecer a temperatura ao som dos seus tambores, desfilando e cantando pela rua num verdadeiro cortejo de Maracatú.

 

No segundo fim de semana chegam sonoridades da Índia com Vislumbres da India – Lajja Sambhavnath, a bailarina e coreógrafa que, no dia 25 de junho, levará à Rock Your Street um desfile bailado, com vários bailarinos, repleto de cor, trajes e músicas tradicionais.

 

No último dia do festival é a vez de Kola San Jon representar o património cultural de Cabo Verde, levando à Rock Your Street um cortejo de música, canto e dança, que celebra festividades vividas nas ilhas de Santo Antão, São Vicente e São Nicolau.

 

Antes do primeiro concerto de cada dia, em todos os dias do festival, a Rock Your Street vai, também, receber o projeto School of Rock, mostrando que nem a idade é uma fronteira numa rua onde há espaço para todos os talentos.

 

Segundo Luís Viegas, programador cultural há mais de 20 anos e curador da Rock Your Street, «um mundo melhor apenas é possível com a inclusão de todos, logo a programação deste espaço, seja em palco ou através das performances de rua, traz para o festival projetos que, por norma, acrescentam experiências e vivências que normalmente estão presentes em circuitos mais alternativos. Trabalhámos neste lineup com a premissa da diversidade e de mostrar que, na música, não existem limites geográficos, dando espaço a todos os estilos para todos os públicos. A música é linguagem universal e neste palco cabem todas as culturas, todos os estilos musicais, todas as idades e géneros, desde talentos tão consagrados como o de Paulo Flores, a propostas frescas e, ainda, menos conhecidas entre nós como a Arooj Aftab».

 

No primeiro dia do festival, 18 de junho, o palco da Rock Your Street abre com uma proposta bem portuguesa, que combina a tradição e contemporaneidade do fado.  Sara Correia, fadista que nasceu e cresceu nas casas de fado de Lisboa, é a voz que irá ecoar na Cidade do Rock. No mesmo dia, segue-se o espetáculo do nigerino Bombino, que atua no Rock in Rio pela primeira vez trazendo os ritmos tradicionais berberes, alinhados com a energia do rock and roll. Para encerrar o primeiro dia da Rock Street, os congoleses Jupiter & Okwess vão subir a palco para um espetáculo que recupera os ritmos e melodias do Congo, misturando-os com um groove urbano, energético e contagiante.

 

No segundo dia de festival, 19 de junho, o palco abre com uma proposta altamente dançante. A dupla americana Magdalena Bay traz um espetáculo que combina synth-pop e eletrónica, ao qual se sucede um concerto daquele que é conhecido como o “músico dos músicos”. Bruno Pernardas é personalidade incontornável no Jazz e sobe pela primeira vez a palco no Rock in Rio para um espetáculo onde certamente não faltarão temas do seu Private Reasons, considerado um dos melhores álbuns de 2021. A terminar este dia, a Rock Your Street recebe uma estreia absoluta, que junta em palco dois nomes de diferentes gerações da música, Paulo Flores e Prodígio. Neste dia, será a vez de os artistas apresentarem, pela primeira vez, ao vivo, o projeto Esperança.

 

No primeiro dia do segundo fim de semana do festival, o palco da Rock Your Street recebe influências do México e do Brasil com os Francisco, El Hombre, a irreverente banda latino-americana que canta em várias línguas, ao som de ritmos tropicais. A este nome junta-se a voz melódica da paquistanesa Arooj Aftab, cantora a viver atualmente em Brooklyn, que transforma as suas preocupações em melodias ao som de instrumentos como harpa. É também a 25 de junho que a Cidade do Rock vai conhecer Omar Souleyman. O músico sírio ficou conhecido internacionalmente por misturar música tradicional do seu país e música eletrónica.

 

Chegando ao último dia do Rock in Rio Lisboa, o palco da Rock Your Street arranca com a “Diva do Kuduro”, de seu nome Titica. A artista angolana é considerada um dos grandes nomes da nova geração da música africana, além de ser um verdadeiro ícone LGBTQIA+, não apenas em África como em muitos continentes, por ter sido a primeira artista angolana a falar publicamente sobre a sua transexualidade. Neste mesmo dia, a Rock Your Street também estenderá a passadeira para receber um dos maiores talentos da nova geração de artistas brasileiros, Johnny Hooker, conhecido pelas suas performances subversivas e pelas mensagens que coloca em muitas das suas letras, sobre a luta pela igualdade e o desejo por um mundo mais inclusivo. E para encerrar a Rock Street vai receber o trio sul-coreano Idiotape. O espetáculo promete muita dança, já que a sua base é a eletrónica, destacando-se também pela sua autenticidade e pela inovação que conferem às suas músicas e às atuações ao vivo.

 

Recorde-se que a 9.ª edição do Rock in Rio está marcada para os dias 18, 19, 25 e 26 de junho de 2022, no Parque da Bela Vista.

 

Artigo anterior

Como prevenir a obesidade infantil

Próximo artigo

Açúcar dissimulado: elimine-o da sua dieta