Home»BEM-ESTAR»NUTRIÇÃO»Cinco dicas para incentivar os mais pequenos a comer bem

Cinco dicas para incentivar os mais pequenos a comer bem

O arranque do novo ano letivo significa o regresso à azáfama diária, desde deixar as crianças na escola, levar a atividades depois da escola, às refeições em casa, banhos… e à preparação de lanches para a escola.

Pinterest Google+
PUB

Pode ser um desafio, mas é fundamental educar as crianças no sentido de criarem hábitos de vida saudáveis, pois aqueles que desenvolverem hoje são os que irão adotar no futuro.

 

A alimentação saudável está diretamente relacionada com o desempenho escolar, sendo que os alimentos ricos em açúcar ou gorduras e os de baixo valor nutricional estão associados a graves problemas de saúde como a obesidade, diabetes e hiperatividade.

 

Neste sentido, a plataforma de entrega de frutas ao domicílio Maria do Pomar explica como evitar dores de cabeça a criar uma lancheira escolar equilibrada.

 

VEJA TAMBÉM: COMO FAZER O SEU FILHO ACEITAR NOVOS SABORES

 

Marmita térmica, leve e fácil de transportar:

Uma marmita térmica, leve e fácil de transportar é o ideal para facilitar a vida aos miúdos, uma vez que eles próprios já andam carregados com o material escolar. Tendo em conta que o lanche é comido ao longo do dia, é o melhor recipiente para manter os alimentos frescos.

 

Colocar na  lancheira um produto de cada grupo alimentar

Para repor as energias entre a sala de aula e as brincadeiras, a marmita deve conter uma porção de proteína, como iogurte, hidratos de carbono, como  pão integral , vitaminas e minerais presentes nos legumes e fruta (sempre da época) e líquidos para hidratar, como a água ou sumos naturais. Evitar sempre sumos com açúcares adicionados.

 

maça

Preparar a lancheira na noite anterior

Para poupar tempo na preparação das refeições, o ideal é fazê-lo na noite anterior desde que os alimentos fiquem bem condicionados. Uma boa sugestão será pedir ajuda aos miúdos, para escolherem qual a fruta que querem levar no dia a seguir, tornando-os mais conscientes e autónomos nas suas escolhas.

 

Incluir opções de snack saudáveis

Manteiga de amendoim com maçã, frutas desidratadas, mix de frutos secos (sem açúcar ou sal) são boas sugestões que para além de serem saudáveis, saciam por um longo período e são uma boa alternativa às bolachas ou aos cereais açucarados.

 

Optar pelos alimentos preferidos das crianças

É importante escolher produtos que os miúdos gostem e que estejam habituados a consumir em casa, mas é necessário fugir de vez em quando à rotina, introduzindo novos alimentos que despertem o interesse dos mais novos. Usar marmitas coloridas ou colocar etiquetas com frases são formas simples que podem ajudar a quebrar a rotina e a motivar os mais pequenos a comerem melhor.

 

Cada criança tem necessidades diferentes ou até mesmo patologias como as intolerâncias ou as alergias alimentares e que poderão requerer um outro tipo de acompanhamento, onde muitas vezes é necessária a ajuda de um profissional.

 

 

Artigo anterior

Pílula ininterrupta: sim ou não?

Próximo artigo

Um quarto com cheirinho a outono