Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Refeições solitárias: quase um terço dos europeus comem sozinhos

Refeições solitárias: quase um terço dos europeus comem sozinhos

Com a proximidade do Natal, os europeus em breve vão reunir-se à volta da mesa para comer, beber e conversar. Mas a última pesquisa da consultora Mintel revela a natureza solitária dos hábitos de consumo dos consumidores europeus no resto do ano. A ‘culpa’ é da vida agitada e das novas companhias digitais.

Pinterest Google+
PUB

Perto de um terço dos europeus costuma comer todas as refeições sozinho, com os polacos (40%) na liderança desta pesquisa. No geral, um terço (33%) de todos os britânicos fazem todas as refeições sozinhos, sendo estes seguidos pelos alemães (31%), franceses (30%), espanhóis (29%) e italianos (29%).

 

Porém, apesar de muitos consumidores comerem sozinhos, a pesquisa da Mintel destaca a importância percebida das refeições em família na Europa. Mais de oito em cada 10 (84%) espanhóis, italianos (83%) e franceses (82%) consumidores acreditam que fazer uma refeição em família é importante; a eles juntam-se 79% dos polacos, 78% dos alemães e 75% dos consumidores britânicos.

 

Edward Bergen, analista global de alimentos e bebidas da Mintel, comenta: «Estilos de vida cada vez mais ocupados estão a resultar em menos tempo para quase tudo, incluindo refeições compartilhadas – com a tendência das refeições individuais em ascensão para muitas pessoas em toda a Europa. Além disso, muitos passaram a preferir a companhia dos seus dispositivos digitais a comerem na companhia de outros. Enquanto alguns estão a fazer as suas refeições sozinhos como resultado do isolamento social, outros estão a usar a pausa das refeições para obterem um tempo de qualidade para si mesmos».

 

VEJA TAMBÉM: VAI AO JANTAR DE NATAL? REVEJA A ETIQUETA NAS FESTAS DE EMPRESA

 

Um banquete de más maneiras

Segundo a pesquisa da Mintel, a tecnologia está a afetar as refeições. O uso de telemóveis para conversar e enviar mensagens de texto durante as refeições é o auge das más maneiras, sendo os espanhóis os maiores culpados da Europa neste pecado.

 

Ansiosos por não perderem um momento precioso, mais da metade (55%) dos consumidores espanhóis admitem que usam frequentemente os seus telemóveis para conversar ou enviar mensagens de texto durante as refeições. Mas eles não estão sozinhos, já que os consumidores polacos (53%) e italianos (51%) também são culpados desse falso jantar. No outro extremo da escala, os britânicos (32%), alemães (21%) e franceses (23%) têm menos probabilidade de sacar dos seus telemóveis enquanto comem.

 

A pesquisa da Mintel revela que, em toda a Europa, os jovens têm maior probabilidade de usar o seu dispositivo como um companheiro para comer. Liderando o caminho mais uma vez, mais de sete em cada 10 gen Zs espanhóis (76%) e polacos (72%) (de 16 a 24 anos) são culpados de usar o telefone enquanto comem o jantar. Mas eles não estão sozinhos, já que 67% dos italianos, 62% dos britânicos, metade dos franceses (52%) e alemães (52%) da geração Z estão colados aos seus telefones durante o jantar.

 

VEJA TAMBÉM: UMA EXPERIÊNCIA ASIÁTICA NO CAMPO PEQUENO

 

Por fim, não são apenas os telefones que estão a interromper as preciosas refeições; outros écrans também estão a provocar distração. Famosos pelo amor à TV, sete em cada 10 (71%) britânicos costumam fazer refeições enquanto usam a tecnologia de entretenimento doméstico, como ver TV e jogos. A eles juntam-se 68% dos polacos e quase seis em cada 10 espanhóis (59%) e 57% dos consumidores italianos. Destacando a importância de boas maneiras à mesa, parece que a tecnologia nas refeições é menos provável nas famílias alemãs (44%) e francesas (50%).

 

«A era digital certamente mudou a maneira como nos comunicamos, mesmo quando estamos cercados por amigos e familiares. Ficamos famintos por um fluxo constante de informações, e o chamado “medo de perder” não para na mesa do jantar. Esse é particularmente o caso entre as gerações jovens, independentemente de qual nação europeia elas sejam, que estejam particularmente interessadas em verificar os seus telefones, mesmo que estejam a jantar», reforça Edward Bergen.

 

Artigo anterior

Vai à festa de Natal da empresa? Veja como abrilhantar uma conversa

Próximo artigo

Sexy, confortável e de qualidade: neste Natal calce nacional