Home»BEM-ESTAR»COMPORTAMENTO»Redes sociais afetam sono regular dos jovens

Redes sociais afetam sono regular dos jovens

A utilizaçao das redes sociais tem imensos beneficios. É uma premissa inegável. Ainda assim, ninguém pode refutar o seguinte: a curto ou a longo prazo, as consequencias negativas, ou menos positivas, surgem. Conheça algumas delas.

Pinterest Google+

As redes sociais têm mudado imenso a forma como as pessoas interagem entre si. Nas mais variadas formas, estas têm influenciado positivamente a vida dos utilizadores, em particular na partilha de informação. Contudo, este mundo tem um lado negro, e as suas repercussões negativas a curto e a longo prazo são inegáveis. E uma das mais visíveis é a forma como afeta o sono.

 

Para um estudo recente foram recrutados mais de 900 alunos, com idades entre os 12 e os 15 anos. Preencheram um questionário sobre quantas vezes acordam à noite para recorrer às redes e quais os horários para adormecer e consequentemente para acordar. Foram ainda questionados sobre como se sentiam em relação a vários aspetos das suas vidas, incluindo a vida escolar, amizades e aparência.

 

Veja também: Como ler personalidades através das fotos de perfil

&nbsp
Segundo os resultados, um em cada cinco jovens acorda durante a noite para enviar ou verificar mensagens nas redes sociais, de acordo com a pesquisa publicada no Journal of Youth Studies. Esta atividade noturna permite uma tripla probabilidade de os adolescentes se sentirem constantemente cansados na escola do que os seus colegas que não fazem login durante a noite. Além disso, esta situação afeta o bem-estar e a felicidade de quem o faz.

 

O vício das redes sociais parece estar a invadir o santuário da casa, o quarto de cada um. Os resultados deste estudo suportam as crescentes preocupações sobre o uso noturno das redes sociais por parte dos jovens. O mundo virtual é uma área com muito para explorar. Há inúmeros aspetos em diversas matérias a ter em conta para tirar conclusões.

 

Verificar as redes sociais já faz parte da rotina diária da maioria da população mundial. Para ter uma ideia, segundo um estudo recente da Universidade de Copenhaga, Dinamarca, 94% das pessoas, atualmente, acedem ao Facebook como parte da rotina diária e 78% utiliza a rede social cerca de 30 minutos ou mais diariamente. Além disso, há relativamente pouco tempo, a aplicação Instagram anunciou que a comunidade já conta com mais de 600 milhões de ‘Instagramers’. E as previsões, tanto nesta rede social como nas outras mais populares – Facebook, Twitter, Snapchat – são de crescimento.

 

Veja também: Dicas para conseguir afastar-se do seu smartphone

 

Ainda sobre o estudo dinamarquês referido há instantes, este demonstrou que uma pausa na utilização do Facebook tem efeitos positivos no bem-estar: aumenta a satisfação com a vida e as emoções pessoais tornam-se mais positivas. E mais. Estes efeitos ficaram fortemente demonstrados em utilizadores massivos do Facebook e em utilizadores passivos.

 

Na verdade, as pessoas que utilizam frequentemente o Facebook estão 55% mais propensas a sentir stress, quatro em cada dez utilizadores invejam o sucesso aparente dos outros e 39% deles têm mais probabilidade de se sentirem menos felizes do que os seus amigos. Por outro lado, a ausência desta rede na rotina quotidiana, ainda que temporária, melhora a concentração e dá a sensação de que se desperdiçou menos tempo e se viveu mais o momento – o designado carpe diem

 

Conheça algumas consequências negativas das redes sociais na galeria acima.

Artigo anterior

BCook: A caixa que leva tempo, saúde e equilíbrio aos portugueses

Próximo artigo

As regências planetárias